F1: Lola confirma que com teto, levará o ‘projeto F-1’ adiante

Enquanto as grandes escuderias da Fórmula 1 brigam com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) por causa do polêmico teto orçamentário a ser implantado em 2010, outros times seguem pensando em ingressar na categoria justamente a partir dessa novidade. É o caso da montadora Lola, que confirmou na noite desta quinta-feira que vai levar seu projeto adiante.

Construtora de carros de competição criada em 1961, a Lola participou do Mundial de Fórmula 1 pela última vez em 1997, quando, após ficar sem patrocínio, retirou seus carros do grid com o campeonato já em andamento. No último dia 22 de abril, a marca começou a cogitar um eventual retorno em seu site oficial, sendo que essa possibilidade ganhou força há 15 dias, com a ratificação de que as equipes serão motivadas a gastar no máximo 40 milhões de libras (quase R$ 127 mi).

“O teto original de £ 30 milhões, incluindo motores, formou a base do interesse inicial da Lola”, divulgaram os ingleses em um comunicado. “A decisão da FIA de revisá-lo para £40 milhões, fora motores e marketing, levaram-nos a reexaminar a oportunidade, culminando na confirmação de que o projeto na F-1 continuará”.

Considerando que as recentes manobras da entidade para cortar os custos da modalidade devam ser ‘abraçadas’, a Lola torce agora para que as regras não mudem depois da reunião desta sexta-feira em Londres, onde a descontente Fota (associação de equipes da Fórmula 1) discutirá o regulamento de 2010 com a FIA e Bernie Ecclestone.

“Não é apenas prudente considerar o cenário econômico global, mas também levar em conta a necessidade de novos carros capazes de competir contra as marcas tradicionais”, defendeu a montadora inglesa. “Esperando que as decisões do WMSC (conselho mundial do órgão presidido por Max Mosley) sejam totalmente respeitadas, estamos avançando rapidamente com o objetivo de assegurar uma entrada no Mundial de 2010”.

Fonte Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *