F1: Lucas termina corrida problemática

Lucas Di Grassi e Timo Glock foram os únicos entre as equipes novatas a completar o GP da Turquia neste domingo (30)

Lucas Di Grassi (Clear, Sorocred, Locaweb, Eurobike, Schioppa) terminou neste domingo (30) sua terceira corrida no Mundial de Fórmula 1, o GP da Turquia, sétima etapa da temporada. Pela primeira vez ao volante da nova versão do VR-01 – enquanto seu companheiro de equipe Timo Glock disputava sua terceira corrida com o modelo revisado -, Lucas enfrentou problemas durante todo o final de semana antes de cruzar a linha de chegada após as 58 voltas da corrida, vencida pelo inglês Lewis Hamilton, da McLaren. Com isso, o brasileiro manteve um ritmo inferior ao que poderia, mas mesmo assim comemorou o fato de o carro da Virgin estar se tornando cada vez mais confiável – Di Grassi e seu companheiro, Timo Glock, foram os únicos pilotos de equipes novatas a completar a prova.

Os mecânicos da equipe do brasileiro descobriram um problema no sistema de lubrificação do motor cerca de uma hora antes da largada. “A equipe fez um esforço fantástico deixando o carro pronto para a corrida, porque eles tiveram que retirar o motor para fazer o reparo”, apontou o estreante, que por isso teve de largar dos boxes.

Com tempos de volta parecidos com o de seu companheiro de equipe, Lucas experimentou outra dificuldade: a quebra do escapamento, na 12ª volta. “Isso fez o carro perder muito rendimento, e só continuamos na corrida porque terminá-la era o nosso objetivo principal”, lembrou Lucas, que destacou o fato de esta ter sido a etapa mais difícil do ano até agora.

“Foi a mais complicada de todas porque eu estava andando no limite de um carro com problemas e, mesmo assim, não tínhamos velocidade de reta. Mesmo assim, consegui terminar uma posição atrás do Timo”, apontou Lucas. Os carros da Virgin foram os únicos dentre as equipes estreantes a concluir o GP turco, em um final de semana repleto de dificuldades técnicas para Di Grassi.

“Tivemos muitos problemas no decorrer do fim de semana, especialmente no que concerne ao motor. Mas conseguimos o nosso objetivo, que foi colocar os dois carros na linha de chegada. Demonstramos que a durabilidade do nosso carro está melhorando e agora precisamos focar no desenvolvimento, já que teremos atualizações aerodinâmicas e também na parte de motor para o GP do Canadá. Estou certo de que estaremos em melhor forma lá”, afirmou.

Oitava etapa do Mundial de F1, o Grande Prêmio do Canadá acontece em Montreal no dia 13 de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *