F1: Magnussen compara reclamações de Alonso ao exagero de Neymar

Fernando Alonso não é um piloto que costuma esconder sua insatisfação. O espanhol gosta de mostrar quando e porque está incomodado com algo na Fórmula 1 e as reclamações podem parecer constantes no circuito. Um alvo frequente do bicampeão mundial nos últimos tempos é Kevin Magnussen, criticado no GP da Grã-Bretanha.

O piloto da Haas foi acusado por Alonso de fazer uma pilotagem muito perigosa após o primeiro treino livre e acusou o dinamarquês de forçá-lo para fora da pista, dizendo ao time pelo rádio: “O que vejo em Magnussen eu nunca vi na minha vida.” Ao falar sobre o assunto, Magnussen comparou Alonso com o camisa 10 da Seleção Brasileira. “Ele reclama muito pelo rádio. Mas vemos isso acontecendo também em outros esportes. Até mesmo grandes atletas como Neymar. Eles exageram um pouco”, disse.

O próprio chefe da Haas, Gunther Steiner falou sobre as reclamações do espanhol, após Alonso pedir para que os comissários interviessem e penalizassem Magnussen durante a corrida de Silverstone. O que não ocorreu. “Eu acho que os comissários ou o diretor de prova não mostraram reação, então não preciso comentar sobre isso. Com certeza, Fernando está fazendo seu trabalho. Ele é um dos melhores pilotos e é muito bom em todos os aspectos. Ele faz isso há muito tempo. Ele sabe qual botão apertar, então ele tentou. Com certeza, ele está tentando extrair o máximo de si mesmo, e isso não deu certo há duas semanas”, declarou o chefe.

Na última corrida, Magnussen foi atingido na primeira volta pelo companheiro de equipe, Romain Grosjean, que travou rodas e atingiu seu carro. “Acho que devemos seguir em frente, e a situação é muito clara. Temos um bom carro. Não queremos desperdiçar pontos, então espero que não iremos repetir o que aconteceu”.

“Somos muito abertos na equipe e próximos uns dos outros, então podemos seguir em frente mais rapidamente. Claro, ninguém está feliz pelo que aconteceu, mas as coisas são assim mesmo. Ainda consegui marcar alguns pontos, mas deveria ter marcado muito mais. Mas precisamos marcar pontos com mais regularidade com ambos os carros”, concluiu o dinamarquês.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *