F1: Mark Webber vence em Mônaco e assume liderança do campeonato

O australiano Mark Webber (Red Bull) venceu neste domingo (16/05) o GP de Mônaco, em Monte Carlo, 6ª etapa da temporada. Foi a segunda vitória consecutiva, e de ponta a ponta, de Webber. O alemão Sebastian Vettel completou a dobradinha da Red Bull. O polonês Robert Kubica (Renault) completou o pódio.

Pole-position, Webber manteve a ponta na largada, com Vettel superando Kubica pelo segundo lugar.  Antes de a primeira volta ser completada, o Safety-Car foi acionado pela primeira vez, após alemão Nico Hulkenberg (Williams) bater dentro do túnel.

A Ferrari chamou o espanhol Fernando Alonso, que havia largado em último depois de bater no terceiro treino livre, para trocar os pneus, e fazer a seu definitivo pit stop. Na 3ª volta, com o carro de segurança na pista, o motor Mercedes do inglês Lewis Hamilton (McLaren), até então líder do campeonato, estourou. Os mecânicos da McLaren esqueceram de retirar a tampa do duto que leva ar ao motor, causando o superaquecimento.

Na 7ª volta a prova recomeçou. Com Webber disparando na frente, as atenções se voltaram para Alonso, que vinha atrás do brasileiro Lucas di Grassi (Virgin), que segurou o bi-campeão, de maneira correta, por algumas voltas, com Alonso chegando a reclamar com a mão levantada, sem razão, pois estavam disputando posições. Depois o espanhol não teve tantos problemas para deixar para trás o alemão Timo Glock (Virgin) e as Lotus, do italiano Jarno Trulli e do finlandês Heikki Kovalainen.

Webber tinha dez segundos de vantagem sobre Vettel quando começaram as paradas para trocas de pneus na 17ª volta. Vettel parou na 22ª volta, com o australiano entrando na 23ª. Com problemas na roda dianteira o espanhol Pedro de La Rosa (Sauber) recolheu o carro para a garagem na 22ª volta. Uma depois Glock, com seu carro todo torto, abandonou.

Na 26ª volta, logo depois de fazer a sua parada nos boxes di Grassi abandonou com problemas em uma das rodas do carro. Na seguinte o alemão Nico Rosberg (Mercedes) fez a sua troca, sendo último dos lideres a parar, enquanto o japonês Kamui Kobayhashi (Sauber), que chegou a andar em 5º, abandonava.

Webber liderava, seguido por Vettel, Kubica, o brasileiro Felipe Massa, o inglês Lewis Hamilton (McLaren), Alonso, o grande beneficiado pelo acidente de Hulkenberg, o alemão Michael Schumacher (Mercedes), Rosberg, que perdeu a posição para o heptacampeão, o alemão Adrian Sutil (Force India) e o brasileiro Rubens Barrichello (Williams), que perdeu posições após sua parada na 19ª volta.

Na 31ª volta Barrichello bateu forte na curva Massenet, devido a uma falha na parte traseira do carro que o deixou sem controle, com o Safety-Car entrando pela segunda vez. Parado na contramão Barrichello jogou longe o volante do carro, que acabou sendo atropelado por outro carro, causando mais um prejuízo de cerca de quinze mil dólares a Frank Williams. Em entrevista o brasileiro disse que não jogou a peça por raiva, mas sim para deixar o carro o mais rápido possível, devido à posição em que parou.

Na 34ª volta a bandeira verde voltou. Sem ultrapassagens a corrida seguiu monótona, sendo paralisada novamente com Safety-Car na 43ª volta, por um motivo inusitado. A tampa de um bueiro solta na curva três. Duas voltas depois, com a tapa novamente no lugar certo, nova relargada.

Na 59ª volta o brasileiro Bruno Senna (Hispania) que pelas limitações de seu carro, fazia uma boa prova em 15º lugar, abandonou com uma pane hidráulica. Líder entre os novos carros, Kovalainen, também abandonou nos boxes, com problemas de câmbio.

A prova seguia para o seu final, quando Trulli resolveu inventar, tentado passar o indiano Karun Chandhok (Hispania), pela 14ª posição, na curva Rascasse, na 75ª volta. O veterano passou literalmente por cima do carro de Chandhok, com os carros ficando enganchados e provocando o quarto Safety-Car do dia.

Webber, que vinha logo atrás da dupla de retardatários e com certeza tomou um susto danado, viu a sua tranquila vantagem acabar a três voltas da bandeirada.

Poucos metros antes da linha de chegada o Safety-Car entrou nos boxes, para um final relâmpago em bandeira verde. Schumacher aproveitou para ganhar a sexta posição de Alonso.

Depois da prova Schumacher acabou punido com o acréscimo de 20 segundos em seu tempo, caindo para a 12ª posição. Schumacher infringiu o artigo 40.13 do regulamento da Fórmula 1. Segundo a regra, “se a corrida termina enquanto o safety car estiver na pista, ele entrará no pit lane no fim da última volta e os carros receberão a bandeira quadriculada normalmente sem ultrapassagens.”

Webber venceu, com Vettel em segundo e Kubica fechando o pódio. Massa foi o 4º, seguido por Hamilton, Alonso e Rosberg. As Force India de Sutil e do italiano Vitantonio Liuzzi e o suíço Sébastien Buemi (Toro Rosso) completaram a zona de pontuação.

Webber e Vettel somam 78 pontos, contudo o australiano, com duas vitórias contra uma do alemão, é o líder do campeonato. Alonso é o 3º, com 75. Button caiu para 4º com 70. Massa com 61 é o 5º.

Entre os construtores a Red Bull assumiu a liderança com 156 pontos. A Ferrari soma 134 em 2º, seguida pela McLaren, com 129.

A próxima etapa, o GP da Turquia, em Istambul, acontece no dia 30 de maio.

Final:

1. Mark Webber AUS Red Bull-Renault 78 voltas em 1:50:00.000      
2. Sebastian Vettel ALE Red Bull-Renault a 0.448      
3. Robert Kubica POL Renault a 1.676      
4. Felipe Massa BRA Ferrari a 2.666      
5. Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes a 4.363      
6. Fernando Alonso ESP Ferrari a 6.341      
7. Nico Rosberg ALE Mercedes a 6.651      
8. Adrian Sutil ALE Force India-Mercedes a 6.970      
9. Vitantonio Liuzzi ITA Force India-Mercedes a 7.305      
10. Sebastien Buemi SUI Toro Rosso-Ferrari a 8.199      
11. Jaime Alguersuari ESP Toro Rosso-Ferrari a 9.135      
12. Michael Schumacher ALE Mercedes a 25.712 *
13. Vitaly Petrov RUS Renault a 5 voltas      
*Punido com o acréscimo de 20 segundos no tempo final

Abandonos:
                         
Karun Chandhok IND HRT-Cosworth 71 voltas   
Jarno Trulli ITA Lotus-Cosworth 71 voltas   
Heikki Kovalainen FIN Lotus-Cosworth 59 voltas   
Bruno Senna BRA HRT-Cosworth  59 voltas
Rubens Barrichello BRA Williams-Cosworth  28 voltas

Kamui Kobayashi JAP Sauber-Ferrari 27 voltas     
Lucas di Grassi BRA Virgin-Cosworth 26 voltas     
Timo Glock ALE Virgin-Cosworth  23 voltas
Pedro de la Rosa ESP Sauber-Ferrari   22 voltas   
Jenson Button GBR McLaren-Mercedes 3 voltas   
Nico Hulkenberg ALE Williams-Cosworth  1 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *