F1: Mark Webber vence GP da Hungria e assume liderança do campeonato

O austríaco Mark Webber (Red Bull) venceu neste domingo (1º/ 08), o GP da Hungria, em Hungaroring, 12ª etapa da temporada. Foi a 4ª vitória de Webber no ano. O espanhol Fernando Alonso (Ferrari) foi o 2º, seguido pelo alemão Sebastian Vettel (Red Bull).

Na largada o pole-position Vettel manteve a ponta, com Alonso superando Webber. O espanhol ainda tentou superar o alemão na primeira curva, com Vettel se defendendo. Massa era o 4º, seguido pelo russo Vitaly Petrov (Renault) que ultrapassou o ingles Lewis Hamilton (McLaren). Numa ótima largada o brasileiro Rubens Barrichello ganhou três posições, de 12º para 9º.

Na segunda volta aconteceu o primeiro abandono da prova. O motor Ferrari da Toro Rosso do espanhol Jaime Alguersuari começou a soltar fumaça, com o piloto parando fora da pista. Na 4ª volta Petrov deu uma errada, com Hamilton recuperando a 5ª posição.

Na 15ª volta, o Safety-Car foi acionado, devido a um pedaço da asa dianteira do carro do alemão Adrian Sutil (Force India) perdida na pista. A confusão se formou com todos os pilotos entrando nos boxes para a torça de pneus.

Vettel quase perdeu a entrada dos boxes, passando por cima de uma zebra (o que é permitindo pelo regulamento), e fazendo a sua parada. Alonso fez a sua parada primeiro, com Massa entrando logo depois. Contudo na volta à pista o brasileiro perdeu a 4ª posição para Hamilton, que parou no mesmo momento.

O polonês Robert Kubica (Renault) foi liberado pelos mecânicos no exato momento em que Sutil entrava para a sua troca (ele já havia parado antes para colocar uma nova asa dianteira, sem poder trocar os pneus devido ao Safety-Car), com os dois se chocando. Sutil abandonou.

Segundos após deixar os pits a roda traseira direita do alemão Nico Rosberg (Mercedes) se soltou, ficando quicando dentro dos boxes. Rosberg teve que completar uma volta em três rodas, retornando aos boxes para abandonar.

Sem parar nos boxes Webber, apostando em uma estratégia diferente, assumiu a liderança. Barrichello também permaneceu na pista, indo para a 6ª posição.  Na 18ª volta a prova recomeçou.

Na 24ª volta Hamilton, com problemas de dirigibilidade, encostou o seu carro. Com o abandono o inglês perdeu a liderança do campeonato. Na 25ª volta Kubica abandonou a corrida, antes de cumprir um Stop and Go.

Vettel acabou punido pela direção de prova com um Drive-Through, por deixar um espaço superior a dez carros, em relação a Webber, atrás do Safety-Car. Na 32ª volta o alemão cumpriu a punição sem, contudo reclamar pelo rádio com a equipe e gesticular enquanto passava pelos boxes.  Vettel voltou em 3º.

Webber finalmente entrou nos boxes na 43ª volta, para trocar os pneus super macios pelos duros. Com a vantagem aberta nas voltas anteriores, acima de 23 segundos, o australiano retornou tranquilo a liderança, quatro segundos a frente de Alonso.

Vettel se aproximou de Alonso, mas sem conseguir de fato, uma chance para a ultrapassagem., chegando a dar uma escapada da pista na 54ª volta.

Na 56ª volta finalmente Barrichello entrou nos boxes para a sua troca de pneus. O veterano piloto (o que mais disputou GPs na história da categoria) retornou em 11º, colado no alemão e ex-parceiro de Ferrari,  Michael Schumacher (Mercedes).

Os dois passaram a travar um intenso duelo pela posição nas voltas seguintes. Com pneus macios novos, Barrichello partiu para o ataque final a três voltas do final. Na reta dos boxes o brasileiro colocou seu carro pelo lado de dentro, sendo imprensado no muro pelo alemão. Os dois chegaram a se tocar de leve, com Barrichello conseguindo a ultrapassagem. Schumacher ainda tentou recuperar a posição na primeira curva, sem sucesso.  Após a prova os comissários de prova anunciaram que o alemão, sete vezes campeão mundial, irá perder dez posições no grid de largada da próxima etapa, o GP da Bélgica. 

Webber venceu com 17 segundos de vantagem sobre Alonso. Vettel foi o 3º. Massa terminou em 4º, seguido pelo russo Vitaly Petrov (Renault) e o alemão Nico Hulkenberg (Williams) em suas melhores corridas até agora na categoria. O espanhol Pedro de La Rosa (Sauber) marcou os seus primeiros pontos no ano, com o 7º lugar. Numa prova apagada, o inglês Jenson Button (McLaren) numa terminou em 9º, com o japonês Kamui Kobayashi (Sauber) fechando a zona de pontos.  

Pela primeira vez no ano todos os carros das três equipes novatas terminaram a prova. O finlandês Heikki Kovalainen (Lotus) foi o melhor em 14º. Os brasileiros, Bruno Senna (Hispania) terminou em 17º, seguido por Lucas di Grassi (Virgin).

Webber é o novo líder com 161 pontos, quatro a mais do que Hamilton. Vettel é o 3º com 151, também quatro a mais do que Button. Alonso com 141 é o 5º. Massa soma 97 em 6º, com Barrichello na 11ª posição, somando 30 pontos.  

A próxima etapa acontece no dia 29 de agosto em Spa-Francorchamps, na Bélgica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *