F1: Massa minimiza rivalidade e mira dobradinha

O brasileiro Felipe Massa, que briga com o inglês Lewis Hamilton pelo título do Mundial de Fórmula 1, driblou todos os assuntos polêmicos nesta quarta-feira em Xangai, onde acontece o penúltimo Grande Prêmio da temporada no próximo domingo, e disse acreditar em uma possível dobradinha com seu companheiro de equipe, o finlandês Kimi Raikkonen.

“Ano passado em Xangai terminei em terceiro em uma prova que começou na chuva. Fiz uma corrida muito boa e espero ser ainda melhor desta vez. Gosto do circuito e acredito que o carro vai se sair bem. Assim certamente tentaremos acabar nos dois primeiros lugares”, comentou Massa a respeito do companheiro de equipe, Kimi Raikkonen.


A disputa entre Massa e Hamilton, com o piloto da McLaren liderando o Mundial com cinco pontos a mais que o brasileiro, a duas corridas do fim da temporada, virou polêmica quando o competidor da Ferrari alegou inocência no toque que teve com o carro de Hamilton domingo passado, no Japão.


“Tenho uma boa relação com Lewis e nunca farei nada para causar algo de propósito. Esta é a verdade”, afirmou.


A Ferrari tem resultados melhores em Xangai do que a McLaren, pois venceu três das quatro provas disputadas na China, mas o brasileiro sabe que tem que fazer uma grande prova para alcançar Hamilton.


Raikkonen, que admitiu que não tinha muitas chances de conquistar o bi, afirmou que fará o possível para ajudar o companheiro de equipe na briga pelo título.


“Agora vamos ver o que podemos fazer na China, onde venci ano passado. O circuito de Xangai é um traçado muito exigente e gosto muito dele. Nosso objetivo é fazer uma dobradinha. Darei de tudo para ajudar Felipe e a equipe a obter os resultados que buscamos”, prometeu o finlandês.


Felipe Massa luta para dar ao Brasil seu primeiro título mundial de Fórmula 1 desde 1991, com Ayrton Senna. O país conquistou oito títulos na principal categoria do automobilismo mundial: dois com Emerson Fitipaldi (1972 e 1974), três com Nélson Piquet (1981, 1983 e 1987) e três com Ayrton Senna (1988, 1990 e 1991).


Fonte: AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *