F1: Max Verstappen vence o movimentado GP da Alemanha

O holandês Max Verstappen (Red Bull) venceu neste domingo (28/07), o GP da Alemanha, em Hockenheim, 11ª etapa da temporada. Foi a segunda vitória de Verstappen no ano, e sétima na categoria. O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) e o russo Daniil Kvyat (Toro Rosso) completaram o pódio.

A chuva movimentou a prova, provocando rodadas, acidentes, quatro entradas do Safety-Car, e erros das equipes nos pits.   Com a largada sendo feita com o Safety-Car, a prova foi reduzida de 67, para 64 voltas.

A imagem pode conter: carro e atividades ao ar livre

O pole-position, e favorito a vitória, o britânico Lewis Hamilton (Mercedes), liderou até a 29ª volta, quando rodou na pista molhada, danificou o bico do carro, e entrou nos pits de forma errada. A Mercedes se enrolou na troca dos pneus, com o Hamilton perdendo quase um minuto na segunda parada nos boxes. O britânico depois levou uma punição, de cinco segundos, pelo erro na entrada dos boxes (cumprindo a punição na terceira parada). E para completar o péssimo dia, rodou novamente, fazendo mais um pit. Terminando apenas na 11ª posição. E ganhando duas posições depois com a punição dada aos carros da Alfa-Romeo.

Após a prova as duas Alfa-Romeo, do finlandês Kimi Raikkonen e do italiano Antonio Giovinazzi, que terminaram em sétimo e oitavo, foram punidas, por uma irregularidade técnica na embreagem durante a largada. Tendo os carros 30 segundos adicionados ao tempo final. Raikkonen caiu para a 12ª posição e Giovinazzi para a 13ª.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Verstappen assumiu a ponta na 30ª volta, e com todas as mudanças climáticas, a prova terminou com pista seca, parou nos boxes na hora certa. Na quinta e última parada, para colocar pneus slicks, voltou sem perder a liderança.

Depois de ter problemas no treino classificatório, e alinhar na última posição, Vettel foi o destaque da prova. Conquistando a segunda posição na penúltima volta, ao superar Kvyat.

Kvyat conquistou o seu terceiro pódio na categoria. A Toro Rosso não conquistava um pódio desde a vitória de Vettel, no GP da Itália de 2008.

O canadense Lance Stroll (Racing Point) foi o primeiro a apostar nos slicks, e terminou em quarto, seguido pelo espanhol Carlos Sainz Jr. (McLaren) e o tailandês Alexander Albon (Toro Rosso).

Com as punições as Alfa-Romeo, a dupla da Haas, o dinamarquês Kevin Magnussen e do francês Romain Grosjean, Hamilton, e o polonês Robert Kubica (Williams) fecharam a zona de pontos. O primeiro ponto da Williams no ano, e o primeiro de Kubica desde o GP de Abu Dhabi de 2010 (quinto colocado com a Renault).

Entre os vários acidentes devido a pista molhada, o primeiro acidente aconteceu com o mexicano Sergio Pérez (Racing Point) logo na primeira volta.

O monegasco Charles Leclerc (Ferrari) abandonou após um acidente na 27ª volta. O alemão Nico Hulkenberg (Renault), vinha em terceiro, e sonhava com seu primeiro pódio na F-1, quando escorregou na pista (em uma parte da pista usava em provas de arrancada, e com um produto que escorrega com a pista molhada), e bateu na 39ª volta.

O finlandês Valtteri Bottas (Mercdes) também bateu forte, na 56ª volta. Encerrando de forma melancólica, o GP que marcou os 125 anos do envolvimento da fábrica alemã com o automobilismo.

Verstappen marcou a melhor volta da prova, 1m16s645 (214,840 km/h), na volta 61.

Hamilton lidera o campeonato com 225pontos, seguido por Bottas com 184 e Verstappen com 162.

A próxima etapa, o GP da Hungria, em Hungaroring, acontece no dia 04 de agosto.

 

Nenhuma descrição de foto disponível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *