F1: McLaren me fez mentir, desabafa Hamilton

Excluído do Grande Prêmio da Austrália por ter ocultado a informação de que deixara Jarno Trulli ultrapassá-lo nas últimas curvas da etapa de Melbourne, Lewis Hamilton se emocionou ao falar sobre o assunto nesta sexta-feira.

Chamado de “mentiroso” até pela imprensa inglesa, o piloto se desculpou pelo que chamou de “erro imenso”, dizendo que não disse a verdade aos comissários por causa de um pedido da McLaren.

Após encerrar a corrida australiana na quarta posição, Hamilton acabou herdando a última vaga no pódio depois da desclassificação de Trulli, que ultrapassou o atual campeão da Fórmula 1 sob bandeira amarela.

Porém, quando consultou a comunicação interna da McLaren durante as voltas finais da prova, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) constatou que na verdade a equipe pedira ao britânico para abrir espaço ao italiano, que havia perdido a terceira posição com um erro cometido também na presença do carro de segurança.

Como nem Hamilton, nem a McLaren comunicaram essa informação aos comissários no último fim de semana, acabaram acusados de má fé, perdendo o resultado ganho na pista.

“Enquanto eu esperava pelos comissários, fui instruído pelo chefe de minha equipe (Dave Ryan) a ocultar o que aconteceu, e foi isso o que fiz”, disse ele, em referência ao diretor esportivo que acabou suspenso pela McLaren após a polêmica.

“Sinceramente peço desculpas aos comissários por ter desperdiçado o tempo deles e aos fãs que sempre acreditaram em mim. Não sou um mentiroso ou uma pessoa desonesta, e sim um jogador da equipe. Sempre acato o que me dizem para fazer, e nesta vez percebi que era um erro imenso. Estou tirando uma lição disso”, concluiu.

Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *