F1: Mosley classifica protesto de pilotos como ‘bobagem’

A insatisfação dos pilotos com o novo aumento das taxas para tirar a super licença, documento obrigatório para competir na Fórmula 1, não comoveu Max Mosley, presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). O dirigente classificou como uma “bobagem” a decisão da Associação dos Pilotos da Fórmula 1 (GPDA) em orientar os profissionais a não tirar a “carteirinha” para 2009 até a situação ser resolvida.

“Os pilotos me disseram que eu os estava prejudicando, mas isso não tem sentido, já que eles são os principais beneficiários de todo o dinheiro, que é investido na melhora das medidas de segurança”, comentou Mosley. “Ganhar dez milhões de euros por ano, viver em um paraíso fiscal e se queixar por pagar 2% de seus rendimentos é uma bobagem”, disparou.

De 2008 para 2009, a FIA aumentou a emissão do documento de 10.000 euros para 10.400, além de ter inflacionado a taxa cobrada por cada ponto conquistado na temporada anterior de 2.000 euros para 2.100. Desta forma, o brasileiro Felipe Massa, vice-campeão, terá que desembolsar nada menos que 214.100 euros para estar na pista em 2009.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *