F1: Mosley concorda em discutir o valor da superlicença

Max Mosley, presidente da Federação Internacional do Automóvel (FIA), concordou em se reunir com os pilotos da Fórmula 1 para discutir o valor cobrado este ano pela superlicença, documento que os competidores são obrigados a renovar anualmente para poder participar da categoria.

Segundo o site da Autosport, Mosley enviou uma carta à Associação dos Pilotos (GPDA, na sigla em inglês), se mostrando disponível para uma reunião.


Para conseguir a superlicença até a temporada 2007, os pilotos tinham que desembolsar 1690 euros (cerca de R$ 4,2 mil), mais 447 euros (cerca de R$ 1,1 mil) por cada ponto conquistado no ano anterior.


Para 2008, a entidade mudou os valores, passando a cobrar 10 mil euros (cerca de R$ 25 mil), mais 2 mil euros (cerca de R$ 5 mil) por ponto conquistado no campeonato anterior.


Por causa disso, espalhou-se ontem uma notícia de que os pilotos poderiam fazer uma greve antes do GP da Inglaterra, em Silverstone, no próximo dia 6 de julho caso o valor não seja reduzido. O fato, porém, foi negado mais tarde. “Não haverá nenhuma greve. Isso é bobagem”, declarou o escocês David Coulthard, da Red Bull, a The Press Association.


Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *