F1: Mosley diz que escândalo sexual ‘destruiu tudo’

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley disse em seu depoimento à Alta Corte britânica que a repercussão do escândalo sexual envolvendo seu nome provocou profunda humilhação em sua família e que “destruiu tudo”. O dirigente teve fotos suas participando de uma orgia sexual divulgadas no jornal News of the World.

Apesar de ter convencido o conselho da FIA a mantê-lo no cargo, Mosley admitiu que os danos provocados em sua família são irreversíveis. “Nada que eu possa dizer, nunca poderá reparar os danos feitos. Em um final de semana, eles destruíram tudo”, disse o dirigente.


Segundo ele, sua mulher Jean nunca teve nenhum conhecimento sobre suas preferências sadomasoquistas. Em março, o tablóide britânico publicou uma série de fotos nas quais Mosley aparecia acompanhado de prostitutas. As roupas usadas pelo grupo lembravam uniformes nazistas. Além das imagem, o jornal também divulgou um vídeo em seu site com registros da orgia.


“Eu e minha mulher somos casados há 48 anos… estamos juntos há mais de 50. Nos conhecemos adolescentes. Nada do que diga pode reparar (isto). Para os meus dois filhos também. Não acho que possa haver nada pior para um filho do que ver em um jornal, principalmente em um como o News of the World, fotos como as que publicaram”, desabafou.


Em seu depoimento, Mosley voltou a negar qualquer conotação nazista em suas atividades com as mulheres. Para o dirigente, o jornal só quis se aproveitar de sua posição e do fato de ele ser filho do líder do Partido Fascista Britânico, sir Oswald Mosley, da década de 30.


Ele também reafirmou que suas ações foram “perfeitamente inofensivas” e que o fato de haver pagamento envolvido não constituiu prostituição.


Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *