F1: Mosley se diz humilhado em polêmica da orgia

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, diz ter se sentido humilhado e denegrido pelas revelações do tablóide britânico News of the World, que divulgou imagens antes do Grande Prêmio do Bahrein na qual o dirigente aparece em uma orgia de temática nazista com cinco prostitutas.

“O requerente sofreu angústia e constrangimento como consequência do que foi publicado, em particular, por conta da revelação deste material absolutamente pessoal”, escreveram os advogados de Mosley, em documentos aos quais a revista Autosport obteve acesso e publicou em seu site na última terça-feira.


“A revelação das fantasias sexuais do requerente foi muito degradante e humilhante, além de extremamente angustiante para a família. Este material nunca deveria ter sido revelado, menos ainda em um jornal de circulação nacional”, destaca o documento, que alega ainda que a temática nazista do encontro foi uma “fabricação” do jornal – segundo os advogados do dirigente, trata-se de uma maneira de justificar a invasão de privacidade.


O destino de Mosley como presidente da FIA será selado no próximo dia 3 de junho, quando os membros da entidade se reunirão em Assembléia Extraordinária para decidir se ele fica ou não no cargo. Caso também tenha ganho de causo na Justiça, o dirigente promete no documento doar o dinheiro que ganhará como indenização para instituições de caridade.


Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *