F1: Mosley volta a dar declarações polêmicas

Ex-presidente da FIA garante que poderia ter evitado saídas na F-1.

Max Mosley provou outra vez que está com a língua, ou melhor, o dedo afiado. Em sua segunda coluna no jornal “Daily Telegraph”, o ex-presidente da FIA disse que poderia ter evitado as saídas da BMW e da Toyota da Fórmula 1, caso elas tivessem seguido as ideias do dirigente.

– Durante o período entre as duas decisões do Conselho Mundial, em março e abril, eu deveria ter visitado cada um dos diretores-executivos das empresas e explicado exatamente o que estávamos fazendo e por que. Se eu tivesse feito isso, acho que a BMW ainda estaria conosco e, eventualmente, a Toyota. A perda delas é triste porque era desnecessária – contou Mosley, que também assumiu alguns de seus erros.

Ele ainda falou sobre a enorme briga entre a FIA e a Fota, que causou resultou um racha histórico na categoria. A Associação dos Times da Fórmula 1 chegou a anunciar que faria um campeonato independente, o que para Mosley, seria um erro.

– Esta separação resultaria em dois campeonatos rivais: a Fórmula 1, o oficial da FIA, e um novo campeonato da Fota. Sabendo que os separatistas estariam completamente sem circuitos e cobertura televisiva, a Fota e os principais fabricantes estariam numa posição desesperada para negociações – explicou.

No domingo, Mosley já tinha voltado a defender o teto orçamentário na Fórmula 1 e que a McLaren deveria ter sido excluída da categoria após o escândalo de espionagem em 2007 .

Fonte: LANCEPRESS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *