F1: Petrolífera angolana é o alvo da Williams

Notícia do teste com Ricardo Teixeira apareceu para despistar possível acordo.

No começo desta semana, o diário angolano “Jornal dos Desportos” afirmou que a Williams teria interesse em testar com Ricardo Teixeira, piloto da Fórmula 3 inglesa.

A equipe de Grove logo desmentiu a informação. Porém, a notícia pode ter um algo a mais.

O site “Grand Prix” revelou que a Williams estaria interessada mesmo é no patrocinador de Teixeira, a Sociedade Nacional de Petróleos de Angola (Sonangol).

O piloto nasceu em Lisboa, mas corre sob a bandeira do país africano após ter recebido um convite da petrolífera estatal para ser sua parceira no automobilismo.

A Williams recebeu combustível da Petrobras de 1998 a 2008. A empresa brasileira estava certa para o ano que vem com a Honda, mas a equipe anunciou sua saída da Fórmula 1.

O time inglês, então, procura um novo fornecedor. Por isso, o interesse na Sonangol.

Angola é a segunda maior produtora de petróleo da África Sub-Saariana. Durante muitos anos, os lucros financiavam a guerra civil instaurada no país, que só acabou em 2002.

Hoje, o governo investe na infra-estrutura e no turismo do país.

Além de ter perdido o patrocínio da Petrobras, a Williams não tem mais a parceria com a Lenovo, fabricante de computadores, que acertou com a McLaren.

A equipe, porém, estendeu por mais oito anos o contrato com a Oris S.A., fabricante de relógios.

Fonte: Tazio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *