F1: Presidente da Ferrari defende ordens pelo rádio

O presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, comentou que tem intenção de conversar com o presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Max Mosley, a respeito da norma que proíbe o uso de rádio pelas equipes.

A manobra dos pilotos da Ferrari no Grande Prêmio da China, em que Kimi Raikkonen se deixou ultrapassar por Felipe Massa, reabriu o debate sobre as ordens da equipe, já que a ação foi proibida pelo regulamento depois da polêmica atitude da Ferrari há seis anos, quando Rubens Barrichello abriu passagem para Michael Schumacher a poucos metros de receber a bandeirada quadriculada.


Atualmente, todas as equipes devem ter cuidado para que qualquer manobra a favor dos interesses das escuderias não seja dada por meio do rádio e descoberta por todos. “Falaremos com Mosley para acabar com esta hipocrisia”, afirmou Montezemolo em declarações ao diário italiano La Gazzetta dello Sport.


“O mais importante é que não prejudique os demais, mas priorize os interesses da equipe”, completou o chefão da Ferrari. “É o mesmo que acontece com o ciclismo, quando todos os ciclistas de uma equipe trabalham para preparar o sprint para outro companheiro”, disse.


Montezemolo, por sua vez, defendeu a FIA e seus comissários depois das críticas que receberam nesta temporada devido às penalidades que alguns pilotos receberam. “Talvez, em alguns casos, tenham sido um pouco rigorosos, mas estou de acordo com eles pois, do contrário, os Grandes Prêmios se tornariam uma selva”, finalizou.


Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *