F1: Rosberg avalia punição justa após trapalhada

Diferentemente do inglês Lewis Hamilton, o alemão Nico Rosberg assumiu a culpa do acidente causado há duas semanas no Grande Prêmio do Canadá e considerou justa a punição recebida, a perda de dez lugares no grid de largada para o GP da França neste domingo. Para o germânico da Williams, a trapalhada causada nos boxes foi um acontecimento de desatenção, embora tenha criticado as luzes vermelhas.

Hamilton, vale lembrar, bateu sua McLaren na traseira do finlandês Kimi Raikkonen enquanto os boxes ainda estavam fechados em Montreal e tirou o ferrarista da corrida. Logo em seguida, Rosberg entrou na traseira do inglês e também não teve condições de continuar na prova canadense. Ambos receberam a mesma pena.


“O Lewis mereceu perder os dez lugares e acho que eu também”, ponderou o filho do ex-campeão finlandês Keke Rosberg. “É preciso levar em consideração que a minha batida não prejudicou ninguém, já que o Hamilton estava fora da corrida. Mas analisando o caso de uma forma geral, tanto ele como eu fizemos mais ou menos o mesmo erro”, prosseguiu.


Rosberg, contudo, não deixou de criticar a implementação das luzes que impedem a saída da pitlane. “Quando você está nos boxes há muita coisa para fazer e acaba não percebendo o semáforo. É uma regra nova e demora um pouco para todos se acostumarem. Prova disso é que muitos pilotos também vêm passando por situação semelhante”, complementou.


O alemão da Williams foi apenas o 11º colocado do primeiro dia de treinos livres para o GP francês. Rosberg teve como melhor tempo a parcial de 1min16s682, cerca de 1,3s a mais do que o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, melhor do dia com 1min15s306. O japonês Kazuki Nakajima, parceiro de equipe do germânico, foi o 15º com 1min17s002.


F1: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *