F1: Rubens Barrichello vence na Itália e entra de vez na luta pelo título

O brasileiro Rubens Barrichello, da BrawnGP, venceu neste domingo (13/09), o GP da Itália, em Monza, 13ª etapa da temporada. Foi a segunda vitória do brasileiro no ano e 11ª na carreira. O lider da temporada, o inglês Jenson Button, completou a dobradinha da BrawnGP. O finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, completou o pódio.

Pole-position Hamilton manteve a ponta na largada, com o finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, ultrapassando o alemão Adrian Sutil, da Force India. Barrichello ganhou a posição do finlandês Heikki Kovalainen, da McLaren, assumindo a quarta posição.

Na segunda chicane o polonês Robert Kubica, da BMW Sauber e o australiano Mark Webber, da Red Bull, se tocaram, sendo fim de prova para Webber. Kubica continuou, com a frente do carro danificada. Na 3ª volta o alemão Nico Rosberg, da Williams, entrou nos boxes, pra trocar a asa dianteira quebrada.

Com cinco voltas disputadas Hamilton era o líder seguido por Raikkonen, Sutil, Barrichello, Button, o italiano Vittantonio Liuzzi, estreando na Force India, o espanhol Fernando Alonso, da Renault e Kovalainen, que perdeu quatro posições. Estreando na Ferrari, o italiano Giancarlo Fisichella vinha apenas em 12º. Os três primeiros colocados largaram com a estratégia de duas paradas nos boxes, com o restante do grid optando por apenas uma parada.

Na 9ª volta foi mostrada a bandeira preta e laranja para Kubica, significando que o polonês teria que entrar nos boxes para consertar a frente de sua BMW avariada, o que o piloto fez na volta seguinte.

Com os pneus macios desgastados Hamilton, foi o primeiro a entrar nos boxes, na 15ª volta, retornando na 5ª posição, atrás de Button. Na 16ª volta Kubica retornou aos boxes, recolhendo seu carro para a garagem.

Sutil fez a sua primeira parada na 18ª volta, voltando em 7º. Na seguinte foi a vez de Raikkonen, que retornou a pista em 5º.

Barrichello assumiu a liderança da prova, com 2s4 de frente sobre Button. Hamilton era o 3ª, 11s4 atrás do brasileiro. Depois vinham Liuzzi, Raikkonen, Alonso, Sutil e Kovalainen.

Após largar do pitlane o espanhol Jaime Alguersuari, da Toro Rosso, retornou aos boxes, abandonando na 20ª volta.

Fazendo uma grande prova em 4ª lugar, Liuzzi (que não disputava um GP desde o Brasil em 2007), parou na pista na 23ª volta, com a caixa de marchas quebrada.

Na 28ª volta Button fez a sua parada, voltando em 5º. Na seguinte Barrichello entrou nos boxes, retornando a frente do inglês. Hamilton retomou a liderança da prova, mas tendo que fazer mais uma parada nos boxes poucas voltas depois, o inglês sabia que seria praticamente impossível retornar a frente dos carros da BrawnGP.

Como esperado, quando saiu dos boxes, após sua segunda parada na 34ª volta, Hamilton estava atrás de Barrichello e Button. Raikkonen assumiu temporariamente a primeira posição, seguido por Sutil, até os dois entrarem juntos nos pits, na 38ª voltas. Ambas tiveram problemas na parada, perdendo tempo, mas voltando a prova na mesma ordem, em quarto e quinto lugar. Sutil chegou a derrubar um mecânico nos boxes.

Na 43ª volta o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, deu uma passeada na brita na segunda curva de Lesmo, retornando a pista e a disputa com o alemão Nick Heidfeld, da BMW Sauber, pela 8ª posição.

Faltando oito voltas para a bandeirada final Barrichello liderava com 4s3 de vantagem para Button. Hamilton era o 3º, seguido por Raikkonen, Sutil, Alonso, Kovalainen e Heidfeld.

Nas voltas finais Hamilton começou a diminuir a diferença para Button, ficando a menos de dois segundos do compatriota.

Fora da disputa por pontos, o italiano Jarno Trulli, da Toyota, e o japonês Kazuki Nakajima, da Williams, se tocaram na primeira curva da 49ª volta.  Na sequencia Trulli e seu parceiro de equipe, o alemão Timo Glock, dividiram a curva, com o italiano perdendo o controle do carro e saindo da pista. Ao retornar a pista Trulli perdeu mais uma posição, para o suíço Sébastien Buemi, da Toro Rosso.

Na derradeira volta Hamilton, pressionando Button, rodou entre as duas curvas de Lesmo, batendo na barreira de pneus. Com o Safety-Car na pista Barrichello recebeu a bandeirada, seguido por Button e Raikkonen. Foi a quarta dobradinha da BrawnGP.

“É um momento fantástico, de busca nesse campeonato. Esse momento é muito importante, estou super feliz. Dedico essa vitória aos meus ‘pequenitos’. É o aniversário deles neste mês, então dedico a eles essa vitória”, disse Barrichello na coletiva após a corrida.

O brasileiro comemorou a decisão de não trocar a caixa de marchas, o que faria o piloto perder cinco posições no grid.

“Como não sabíamos o que fazer, tive uma noite difícil. Houve um excesso de torque em Spa e há preocupações, mas espero que dure as quatro corridas. Podíamos ter alguma coisa, mas Deus foi maior que tudo nessa corrida”, declarou o brasileiro, após vencer pela terceira vez em Monza.

Sutil, que marcou a volta mais rápida da prova, terminou em 4º, com Alonso em 5º e Kovalainen na 6ª posição. Heidfeld e Vettel completaram a zona de pontos. Fisichella chegou em 9º.

Faltando quatro etapas para o encerramento da temporada, Button soma 80 pontos na liderança do campeonato. Barrichello, que nas últimas três provas somou 22 pontos contra 12 de Button, tem 64. A Red Bull, que parecia que seria a adversária da BrawnGP na luta pelos campeonatos de pilotos e construtores, perdeu o fôlego. Vettel é o 3º com 54, com Webber, que zerou os três últimos GPs, em 4º com 51,5.  Raikkonen, com uma sequencia de quatro pódios, é o 4º, com 40.

Nos construtores a BrawnGP tem 146 pontos, contra 105,5 da Red Bull.

A próxima etapa, o GP noturno de Cingapura, acontece no dia 27 de setembro.

Final:

1. Rubens Barrichello BRA Brawn-Mercedes 53  voltas em 1h16m21s706
2. Jenson Button GBR Brawn-Mercedes a 2.866
3. Kimi Raikkonen FIN Ferrari a 30.664
4. Adrian Sutil ALE Force India-Mercedes a 31.131
5. Fernando Alonso ESP Renault a 59.182
6. Heikki Kovalainen FIN McLaren-Mercedes a 1m00.693
7. Nick Heidfeld ALE BMW Sauber a 1m22.412
8. Sebastian Vettel ALE Red Bull-Renault a 1m25.427
9. Giancarlo Fisichella ITA Ferrari a 1m26.856
10. Kazuki Nakajima JAP Williams-Toyota a 2m00.000
11. Timo Glock ALE Toyota a 2m43.925
12. Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes a 1 volta
13. Sebastien Buemi SUI Toro Rosso-Ferrari a 1 volta
14. Jarno Trulli ITA  Toyota a 1 volta
15. Romain Grosjean FRA Renault a 1 volta
16. Nico Rosberg ALE Williams-Toyota a 2 voltas

Abandonos:

Vitantonio Liuzzi ITA Force India-Mercedes 22 voltas
Jaime Alguersuari ESP Toro Rosso-Ferrari 19 voltas
Robert Kubica POL BMW Sauber 15 voltas
Mark Webber AUS Red Bull-Renault 0 voltas

Volta mais rápida: Adrian Sutil ALE Force India-Mercedes 1m24s739 na 36ª volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *