F1: Sébastien Bourdais, a nova vítima da “maldição” norte-americana

O francês Sébastien Bourdais foi oficialmente dispensado pela Toro Rosso nesta quinta-feira (16/07), depois dos fracos desempenhos apresentados nos 27 GPs em que defendeu a equipe.

Bourdais, que estreou na F-1 pela Toro Rosso no GP da Austrália do ano passado, vindo da ChampCar nos EUA depois de ser tetra-campeão, foi mais piloto vítima da ‘maldição” norte-americana, que já vitimou entre outros Michael Andretti e Alessandro Zanardi.

O francês chegou a categoria máxima do automobilismo mundial cercado de expectativas, afinal havia simplesmente massacrado a concorrência na ChampCar entre os anos de 2003 e 2007, conquistando quatro títulos consecutivos. Ele venceu 31 provas em 73 disputadas.

Contudo na F-1 as coisas foram muito diferentes. Depois de estrear com o 7ª lugar em Melbourne Bourdais conquistou apenas mais dois pontos em 2008 (novamente 7º na Bélgica), e viu a estrela do alemão Sebastian Vettel, seu parceiro de equipe, brilhar intensamente, ainda mais depois da vitória no GP da Itália. O alemão terminou o ano em 8º, com 35 pontos, contra quatro do francês.

Neste ano, depois de muita especulação, de que não teria o contrato renovado, Bourdais foi confirmado como titular da equipe.  Nove corridas e apenas dois pontos marcados depois, a carreira de Boudais na F-1 parece ter chegado ao fim.

Em seu site oficial Bourdais se disse chocado e decepcionado com a decisão da equipe, e que seria competitivo com o novo pacote de atualizações do carro, que será introduzido no GP da Hungria.

Ele também disse que irá acionar os seus advogados para garantir, na justiça, os seus direitos. Bourdais agradeceu aos fãs e declarou que segue emprenhado no projeto de Fórmula 1.

O espanhol Jaime Alguersuari, de apenas 19 anos, e que foi Campeão Inglês de F-3 no ano passado, é o substituto de Bourdais. Se disputar o GP da Hungria o espanhol irá bater o recorde do neozelandês Mike Thackwell, de piloto mais jovem a estrear na F-1. Trackwell estreou no GP do Canadá de 1980, com um Tyrrell, aos 19 anos e 182 dias. Alguersuari terá 19 anos e 126 dias no dia da etapa húngara. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *