F1: Sem desistir, ex-BMW tenta ‘dobrar’ Williams para ser a 14ª equipe

Apesar da resistência de um dos membros da Fota (Associação de Times da Fórmula 1), a Williams, o time a ser formado a partir do espólio da BMW em Hinwil segue trabalhando nos bastidores para ser a 14ª escuderia da categoria. Atual chefe de equipe da montadora alemã, Mario Theissen está otimista quanto à resolução da pendência.

A princípio, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) havia aprovado a ampliação do grid de dez para 13 times, com a inserção de USF1, Manor e Campos. Depois da saída da BMW, que encerrou seu projeto esportivo, a Lotus também entrou na Fórmula 1, mas a fábrica dos alemães acabou sendo comprada em setembro pelo consórcio Qadbak Investments, que desde então tem tentado também conseguir uma vaga.

Nesse contexto, para atingir seu objetivo a antiga BMW, cujo um dos principais dirigentes continuará sendo Peter Sauber, precisa da aprovação de todas as integrantes da categoria, o que não ocorre por causa de Frank Williams. “Vamos dizer que não entendo porque Frank mantém sua posição de ser a única pessoa contra”, lamentou Theissen à revista britânica Autosport.

Embora garanta não haver um prazo para definir o imbróglio, o dirigente alemão pede pressa para que toda a polêmica chegue ao fim. “Não ter uma posição deixa muito difícil conversar com pilotos e patrocinadores. Esperamos estar no grid de todas as formas”, concluiu.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *