F1: Sob protestos, FIA confirma julgamento do caso ‘difusores’ para 14 de abril

Os difusores da Brawn GP, Williams e Toyota foram contestados pela Ferrari, RBR e Renault. Entretanto, a organização do GP da Austrália rejeitou o pedido e criou polêmica no mundo da Fórmula 1. Sem se manifestar até então, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) entrou no jogo e nesta sexta-feira confirmou que será realizada uma Corte de Apelações para investigar o caso no dia 14 de abril, em Paris.

Um dos principais responsáveis pelo protesto, o chefe da Renault, Flávio Briatore, afirmou que os difusores destas três equipes proporciona vantagens aerodinâmicas, contradizendo o pedido da FIA para este ano.

“O que acontece aqui é que essas três equipes foram muito claramente na direção da pressão aerodinâmica. E, como sabíamos da volta dos pneus slick em 2009, impor regras para reduzir essa pressão era a intenção do presidente da FIA, Max Mosley. Mas alguém foi na direção da pressão aerodinâmica, caminho proibido pela FIA, e não segue o princípio das regras”, declarou o italiano

A data da apelação será uma terça-feira antes do GP da China. Caso o protesto seja aceito, Brawn, Williams e Toyota teriam pouco tempo para adaptarem seus carros para esta temporada.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *