F1: Trulli dispara contra Lotus e pode se aposentar

O italiano Jarno Trulli não está satisfeito com a evolução da Lotus. Após uma temporada de adaptação, ele esperava brigar no pelotão do meio, mas a equipe malaia continua sendo apenas a melhor entre as que entraram ano passado na Fórmula 1 (Virgin e Hispania). Se as coisas não mudarem, o experiente piloto de 36 anos, desde 1997 na categoria, pode se aposentar.

“Não há bons momentos para mim. O carro não é eficiente na aerodinâmica. Eu esperava brigar com as equipes médias, mas continuamos atrás”, reclamou. O principal empecilho é a direção assistida. “Minha pilotagem é precisa e não consigo compensar e nem sentir o limite. É que nem dirigir de olhos fechados”, explicou.

“(Heikki) Kovalainen não tem esses problemas, então ele vai mais rápido que eu. No classificatório, não posso dar meu melhor. Vou bem nas largadas quando o carro está pesado, com combustível, mas quando esvazia é um problema para mim”, continuou.

Seu contrato com a Lotus termina no fim do ano, e ele admite se aposentar se não conseguir um cockpit competitivo. “Estou acostumado a brigar pelo pódio, pela vitória. É difícil desse jeito. Eu poderia deixar a F-1, mas continuar correndo. Não estou interessado na Fórmula Indy, mas corridas como as 24 horas de LeMans são interessantes, com uma boa equipe, mas não estou pensando nisso agora. Quero manter minha mente aberta”, ponderou.

No próximo domingo, Trulli vai disputar seu 244º Grande Premio, em Valência, na Espanha. Ele soma uma vitória e quatro pódios.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *