F1: Trulli diz que Toyota pode brigar por 3ª posição

Os testes de pré-temporada deixaram Jarno Trulli esbanjando otimismo. Após os bons resultados apresentados durante o inverno europeu, o piloto italiano está esperançoso de que a Toyota possa finalmente fazer jus ao tamanho de seu investimento e disputar o terceiro lugar do Mundial de Construtores.

Segundo Trulli, a evolução do novo TF108 coloca a equipe com muitas chances de apagar a frustrante sexta colocação no ano passado (já descontada a desclassificação da McLaren). Desse modo, o italiano admite a inferioridade da Toyota na comparação com as duas melhores equipes, mas não vê motivos para uma terceira posição não ser possível.


“Ferrari e McLaren à parte, há um grande grupo liderado por poucos décimos pela BMW”, afirmou em Melbourne, onde a temporada se inicia neste fim de semana. “E então (há) o resto, com Toyota, Williams, Renault e Red Bull – nós todos estamos muito próximos”.


“E algumas condições, como pista e circunstâncias, significam estar à frente ou ligeiramente atrás. Com os recursos que temos, evoluindo durante a temporada e melhorando o carro, temos uma chance de alcançar as equipes da frente”, comentou.


“Acho que o time entendeu nossa situação, e estamos muito próximos do terceiro lugar do campeonato de construtores, se fizermos um bom trabalho. Nós só precisamos de um empurrão extra em termos de desenvolvimento do carro”, adicionou. “Eles (integrantes da equipe) estão realmente motivados porque viram que do ano passado para este temos um carro muito mais competitivo – então podemos fazer isto”.


Trulli aproveitou também para minimizar as sugestões de que sua posição dentro da Toyota se fortaleceu depois da saída de Ralf Schumacher, piloto bem mais experiente que Timo Glock, atual campeão da GP2: “Neste momento, a equipe está provavelmente me escutando mais cuidadosamente porque sou quem tem mais experiência dentro da equipe”.


“Mas Timo teve uma entrada certa desde o início, sua impressão foi boa, e ele vai aumentar o ritmo. Nunca houve um primeiro e um segundo piloto, mas é legal estar em uma equipe em que os dois têm a mesma impressão. Ares frescos ajudam – e acho que era por isso que o time estava procurando”, concluiu.



Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *