F1: última corrida do ano terá compostos P Zero Amarelo macio e P Zero Vermelho supermacio

O fim da temporada de 2015 será em um palco bem familiar para a Pirelli, o espetacular circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi. A pista foi usada para testes e pré-temporada pela empresa italiana, incluindo a primeira avaliação de um pneu para chuva conduzida durante a noite. Devido ao asfalto liso, os dois pneus mais macios da gama foram selecionados, o macio e o supermacio, como foi o caso na pista mais lenta do calendário, em Mônaco, e em mais quatro corridas.

O GP de Abu Dhabi começa no entardecer e termina à noite. Dessa forma, a temperatura da pista tende a cair ao longo da prova, fazendo com que os padrões de comportamento dos pneus sejam ligeiramente diferentes do normal. Essa é outra variável complexa que as equipes devem levar em conta ao traçar suas estratégias.

Paul Hembery, diretor de motorsport da Pirelli: “É incrível pensar que a temporada 2015 já está no fim. Parece que faz muito menos de um ano desde que estivemos em Abu Dhabi para a última corrida de 2014. Com o campeonato decidido, as equipes obviamente podem forçar seus carros ao limite. Nossa escolha de pneus para Abu Dhabi oferece aos times um desafio interessante. Apesar da superfície ser muito lisa, os pneus ainda sim são forçados devido ao desenho da pista. Dessa forma, o gerenciamento dos pneus se torna uma parte importante da estratégia, particularmente nas acelerações nas áreas de tração, onde é muito fácil que as rodas girem em falso. A escolha dos pneus é a mesma do ano passado, então devemos esperar outra corrida com dois pit stops. Porém, a temperatura da pista pode variar muito conforme o sol se põe. Isso claramente pode ter efeito nos pneus e, por consequência, na estratégia. Apenas dois dias após a bandeira quadriculada para a temporada 2015, já testaremos para 2016. Haverá um teste de pneus da Pirelli durante todo o dia na próxima terça-feira, com todas as equipes levando um carro para testar algumas construções para 2016 e o novo pneu ultramacio, que terá marcações roxas nas corridas do ano que vem.”

Os maiores desafios para os pneus: As quedas de temperatura atmosférica e da pista ao longo da corrida fazem com que a pista fique cada mais rápida, fenômeno que é acentuado pelas decrescentes cargas de combustível.

Assim como em Interlagos, os carros correm em sentido anti-horário em Abu Dhabi. Isso é relativamente incomum e pode algumas vezes causar problemas físicos aos pilotos.

A primeira parte do circuito tem uma série de curvas rápidas, que aquecem os pneus. Há uma oportunidade para resfriamento dos compostos na longa reta em seguida, com os carros acelerando o máximo por cerca de 15 segundos, com o equivalente a 800 quilogramas de pressão aerodinâmica.

A estratégia do ano passado e como a corrida foi ganha: Uma estratégia com duas paradas foi a escolha vencedora de Lewis Hamilton no ano passado. Ele começou a corrida de 55 voltas com pneus supermacios. Depois mudou para macios nas voltas 10 e 31. Após 24 voltas, ele se sagrou o campeão mundial de 2014.

Diferença de desempenho esperada entre os dois compostos: entre 1s e 1s2 por volta.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *