F1: Webber sofre acidente e deve ficar de fora dos testes para a RedBull

O australiano Mark Webber foi submetido a uma cirurgia neste sábado para colocar um pino na perna direita após sofrer um acidente durante um evento promovido por ele mesmo na região da Tasmânia, o Desafio Mark Webber da Tasmânia.

O piloto da Red Bull corria de bicicleta por uma rodovia próxima à vila de Porto Arthur quando foi atingido em cheio por um carro de tração. O motorista do veículo fugiu, e Webber foi atendido prontamente no local pelos paramédicos do evento. Em seguida, foi encaminhado de helicóptero ao Hospital Royal Robart e, depois, ao Hospital Privado de Robart.

Inicialmente, imaginou-se que o australiano tivesse sofrido fraturas múltiplas nas pernas e nos braços. Mais tarde, a gravidade das lesões foi dimensionada, e Webber teve de passar por uma intervenção cirúrgica.

“A cirurgia terminou, eles colocaram um pino na perna e a recuperação já começou. Ele ficará no hospital por três dias, certamente não chegará a uma semana“, afirmou Geoff Donohue, diretor do Desafio Mark Webber. “Eu conversei com ele antes da operação, e ele já estava pensando na reabilitação”.

Donouhe informou que o período de recuperação do piloto está estimado em seis semanas, o que provavelmente afetará a programação de pré-temporada da Red Bull. A escuderia, que iniciou sua bateria de testes para 2009 nesta semana em Barcelona, tem nova sessão de treinos agendada para o próximo dia 9 de dezembro, em Jerez de La Frontera. Webber deveria participar dos testes, mas agora não poderá correr.

“Acredito que assim que Mark puder viajar, ele voltará à Europa. Lá eles trabalharão intensamente na recuperação dele com o intuito de recolocá-lo em forma o mais rápido possível. Ele tem pensamento positivo e muita determinação”, completou Donouhe.

No Desafio Mark Webber da Tasmânia, os competidores participam de três esportes – corrida, ciclismo e caiaque – durante cinco dias percorrendo 280 quilômetros. Esta já é a sexta edição do evento.

Fonte: UOL (através da agências internacionais)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *