F3 Alemã: Em treino conturbado pela chuva, Suzuki fica com 8o tempo em Nürburgring

Em uma sessão em que até mesmo o autor de 11 das 14 poles já disputadas neste ano amargou o 10o lugar, piloto brasileiro considerou satisfatória a vaga na quarta fila do grid.

De um extremo a outro. Foi desta maneira que o clima na região sudoeste da Alemanha se comportou nas últimas 24 horas, período que separou os dois treinos classificatórios para a sétima rodada dupla da Fórmula 3 Alemã, que será realizada neste sábado no circuito de Nürburgring.

O céu azul e a temperatura na casa dos 30oC, que tinham marcado a quinta-feira, deram lugar a um dia frio e chuvoso nesta sexta, o que transformou o último treino oficial da rodada em uma verdadeira loteria.

“Eu estava torcendo para a temperatura cair na hora do treino de hoje, até porque nosso carro se não se comportou tão bem no calor, mas São Pedro entendeu errado meu pedido, e mandou uma chuva muito forte junto com o frio”, brincou o brasileiro Rafael Suzuki (SVLabs).

Embora tenha conseguido largar na frente do líder do campeonato, Laurens Vanthoor – autor de 11 das 14 pole positions já disputadas no calendário deste ano -, Suzuki sairá apenas na 8a posição do grid, cinco colocações atrás de seu principal adversário neste final de campeonato, Stef Dusseldorp. O holandês, atual vice-líder da competição, larga em terceiro.

Vanthoor e Dusseldorp, que compõem a dupla da poderosa equipe Van Amersfoort, buscam o primeiro e o segundo lugares no campeonato deste ano. A dobradinha só pode ser impedida por Suzuki, que embora seja o terceiro na tabela ainda busca recursos financeiros para terminar a temporada.

Acerto de última hora – A sexta-feira amanheceu fria, mas com clima estável na região do município de Nürburg, onde fica localizado o tradicional circuito de Nürburgring. A chuva só deu sinais de que atrapalharia a sessão classificatória de hoje poucos minutos antes dos carros se dirigirem para a pista, o que causou correria entre as equipes. E uma verdadeira “sinuca de bico” para o brasileiro Rafael Suzuki. Da mesma maneira que precisava adequar o setup do carro para o piso molhado, ele não podia demorar a iniciar suas voltas de qualificação, sob a pena de não ter tempo para andar rápido.

“Eu nunca tinha pilotado nessa pista com chuva e, além disso, teria pela frete uma sessão atípica e de apenas meia hora. Como já imaginávamos que teríamos poucas voltas limpas, sem acidentes ou bandeiras amarelas em razão da grande quantidade de água no circuito, optamos por começar os treinos sem mexer na altura do carro, por exemplo. Isso teria melhorado minha performance, mas consumiria um tempo precioso da tomada”, narrou o brasileiro.

A opção tirou de Suzuki a chance de conquistar a pole position, garantida justamente pelo último dos 24 pilotos a deixar o pitlane na hora da tomada, o francês Tom Dillmann. A diferença imposta por ele ao segundo colocado no grid, o britânico Tim Sandler, foi de abissais 2s177. Mas foram as bandeiras amarelas e os diversos carros que rodaram a sua frente que tiraram do brasileiro a chance de largar nas duas primeiras filas. Tendo completado apenas uma volta realmente limpa pelo circuito, ele considerou apenas “satisfatória” a oitava posição no grid.

“Meu carro estava muito baixo em relação ao solo, e aquaplanava até mesmo nas retas. Mas outros pilotos estavam em situação parecida, por isso acho que só mesmo o pole e outros dois ou três pilotos deixaram o pitlane com um acerto realmente correto para a chuva. Erramos na estratégia, mas não foi só isso que determinou o resultado do treino. A sorte contou um pouco também”, salientou Suzuki.

A análise de todas as voltas dadas pelos 24 pilotos da categoria concluiu que os melhores colocados no grid chegaram a completar até seis giros “limpos” durante toda a sessão. Suzuki fechou apenas um e Vanthoor, por exemplo, somente três.

Pista deve melhorar – Apesar dos problemas enfrentados nesta sexta-feira, as equipes e pilotos da Fórmula 3 Alemã devem ter um dia “normal” neste sábado, data das duas corridas do final de semana. Após o dilúvio desta manhã, o tempo melhorou na região de Nürburgring e a previsão para amanhã é de pista seca.

“Acreditamos que a situação ideal para nosso carro seja a de temperatura baixa. Hoje, com a chuva caindo pouco antes da tomada, não houve tempo para acertar o carro, de modo que não dá para dizer que não seremos competitivos caso este cenário se repita. Se a pista continuar molhada amanhã, vamos sair dos boxes com um carro mais bem acertado, e este cenário também é positivo para uma recuperação. E ainda temos a primeira corrida, quando largo em quarto e tenho boas chances de pódio”, finalizou o brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *