F3 Alemã: Problema de câmbio não impede boa recuperação de Suzuki em Nürburgring

Piloto brasileiro pulou bem na largada, mas caiu para nono antes mesmo da primeira curva por não conseguir engatar a segunda e a terceira marchas.

Um problema de câmbio ocorrido já nos primeiros instantes da 13 etapa da Fórmula 3 Alemã, realizada na manhã deste sábado (22) em Nürburgring, tirou do piloto brasileiro Rafael Suzuki (SVLabs) a chance de brigar pelo quinto pódio na temporada 2009 da categoria. Com dificuldades para engatar a segunda e a terceira marchas, usadas em curvas importantes do circuito e, principalmente, logo após a largada, Suzuki completou uma corrida abaixo das expectativas e viu o holandês Stef Dusseldorp abrir 15 pontos de vantagem na disputa particular de ambos pelo vice-campeonato.

Depois de pular bem no momento da luz verde, Suzuki teve a chance de assumir a terceira posição, mas chegou ao final da reta principal do circuito apenas em nono. Apesar da dificuldade de engatar algumas marchas, ele conseguiu completar boa corrida de recuperação e recebeu a bandeirada final em sexto. Com a pista limpa nas últimas voltas, ele virou tempos semelhantes aos do terceiro colocado, o francês recém-chegado da Fórmula 3 Européia, Tom Dillmann.

“Confesso que fiquei um pouco frustrado hoje, porque completei uma corrida sem erros, mas não foi possível ir além do sexto lugar”, declarou o brasileiro. “Consegui recuperar três posições e no final mantive um ritmo parecido com o do terceiro colocado. Mas a falha do câmbio no início da prova e a dificuldade em trocar marchas durante toda a corrida foram difíceis de superar” acrescentou.

Durante os primeiros 20 minutos de corrida, Rafael Suzuki travou boa disputa com Max Nilsson, Tim Sandtler e Nico Monien pelo sexto lugar. Os quatro fecharam seguidas voltas separados por pouco mais de um segundo, e as ultrapassagens eram iminentes. Depois de se livrar do então sexto colocado, Max Nilsson, Rafael ainda levou um toque na traseira do piloto sueco no final da reta dos boxes. A manobra, ironicamente, provocou a rodada de Nilsson, que ao escapar do traçado atingiu o carro de Tim Sandtler. “Dei sorte porque, quando levei o toque, estava com o volante reto, então não rodei”, comentou o brasileiro.

Quando se livrou do tráfego, Suzuki passou a descontar mais de 1s por volta da diferença que mantinha para o quinto colocado, Gary Hauser. Mas, como restavam menos de dez minutos para o final da corrida, não houve tempo de recuperar, pelo menos, sua posição de largada. Ao assumir o sexto posto, o brasileiro estava 12s atrás de Hauser, e no final da prova cruzou a linha de chegada apenas 4s6 atrás do quinto melhor classificado.

Rafael Suzuki foi, novamente, o melhor representante da equipe HS Technik, já que Harald Schlegelmilch fechou a corrida em sétimo e Willi Steindl, em 10º. Os dois ainda foram beneficiados pelo toque entre Max Nilsson e Tim Sandtler, que estavam logo atrás do brasileiro no terço final da prova.

A antiga equipe de Rafael Suzuki continua amargando resultados ruins depois da saída do brasileiro. Com três pódios, uma pole position e a terceira posição no campeonato, ele tinha elevado a Performance Racing à posição de equipe média. Mas, em razão de problemas financeiros, o pequeno time britânico precisou optar pelos recursos do ex-piloto da A1 GP Ali Zahir, que em Nürburgring não foi além da 17ª posição.

Ainda neste sábado o piloto brasileiro volta à pista para a disputa da 14ª etapa da temporada.

Confira os dez melhores na primeira corrida do final de semana:

1) Laurens Vanthoor, 16 voltas em 30min03s648
2) Stef Dusseldorp, a 3.863
3) Tom Dillmann, a 9.442
4) Markus Pommer, a 22.790
5) Gary Hauser, a 28.442
6) Rafael Suzuki, a 33.056
7) Harald Schlegelmilch, a 43.445
8) Sergey Chukanov, a 45.797
9) Jesse Krohn, a 46.811
10) Willi Steindl, a 46.994

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *