F3 Alemã: Rafael Suzuki briga para ser o melhor piloto da Opel na rodada final na Alemanha

Pilotos voltam a Oschersleben para o encerramento da temporada.

Um dos principais atrativos da Fórmula 3 Alemã, que realiza sua rodada dupla final neste fim de semana (10-12/10) em Oschersleben, é a disputa entre os fornecedores de motores. Com o título decidido em favor da Mercedes, os pilotos das demais fabricantes (Honda, Volkswagen e Opel) estão agora envolvidos em disputas internas. Uma das mais acirradas é entre o brasileiro Rafael Suzuki (SV Labs) e o alemão Kevin Mirocha, que estão separados por apenas dois pontos na briga que define o campeão e o vice entre os competidores impulsionados pela Opel. “Ser o melhor Opel mostrará que a equipe esteve perto do limite por muito tempo. Vou batalhar por isso, mas estarei focado nas corridas em si”, afirma. As provas são válidas pelas 17ª e 18ª etapas do certame.


 


Rafael Suzuki acredita que ganhar esse título simbólico seria muito positivo, principalmente para a sua equipe, que assim como ele faz sua primeira temporada no campeonato germânico. “Ficar na frente do Mirocha, que compete na Josef Kaufmann Racing, equipe que teve o Nico Hulkenberg (piloto de testes da Williams) nos últimos anos, seria muito bom. É importantíssimo e muito positivo para uma escuderia estreante ficar à frente de outra com muita tradição”, explica. O titular da Performance Racing destaca que de qualquer forma a temporada foi muito boa. “Além de eu ter somado todos os 51 pontos do time, nós sabíamos que enfrentaríamos dificuldades por não termos feito a pré-temporada e não termos um carro totalmente desenvolvido. Mas queremos ser o melhor Opel”, conta.


 


Para alcançar esse objetivo, o brasileiro terá que ao menos repetir o bom desempenho que teve na quarta etapa, também disputada em Oscherleben. Na ocasião, ele largou em quinto e recebeu a bandeirada na quarta colocação. “Andamos bem da outra vez e tenho certeza que o carro estará melhor agora. É difícil de passar, mas o traçado me agrada muito”, conta o piloto da SV Labs. Apesar de Oschersleben receber muitos testes e ser a casa da Volkswagen, Suzuki está confiante num bom resultado. “Sei que não vai ser fácil, mas o quer me dá confiança é que em todas as pistas que corremos duas rodadas (Hockenheim e Nurburgring), o resultado da segunda vez foi bem melhor que o da primeira”, finaliza.


 


Assim está a F3 Alemã a duas etapas do encerramento do campeonato:


 


1) Fréderic Vervisch/BEL, Dallara F307/Mercedes, 120 pontos;


2) Sebastian Saavedra/COL, Dallara F307/Mercedes, 83;


3) Johnny Ceccoto/VEN, Dallara F307/Mercedes, 81;


4) Matteo Chinosi/ITA, Dallara F307/Honda, 73;


5) Laurens Vanthoor/BEL, Dallara F307/Volkswagen, 72;


6) Kevin Mirocha/ALE, Dallara F307/Opel, 53;


7) Rafael Suzuki/BRA, Dallara F307/Opel, 51;


8) Gerhard Tweraser/AUT, Dallara F307/Mercedes, 46;


9) Federico Leo/ITA, Dallara F 307/Honda, 22;


10) Max Nilsson/SUE, Dallara F307/Opel, 16;


11) Hamad Al Fardan/BRN, Dallara F307/Mercedes, 13;


12) Philipp Eng/AUT, Dallara F307/Mercedes, 7;


13) Sergey Chukanov/UCR, Dallara F307/Opel, 6;


14) Rahel Frey/SUI, Dallara 307/Volkswagen, 5;


15) David Hauser/LUX, Dallara 307/Mercedes, 4;


16) Gary Hauser/LUX, Dallara 307/Mercedes, 2;


17) Jenz Hoing/ALE, Dalara F307/Mercedes, 1 ponto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *