F3 Sul-Americana: Nilton Molina vence em Curitiba

A frente fria que já se fez presente no Rio Grande do Sul, ainda soa apenas como uma promessa de final de domingo para a região de Curitiba. Aqui a F3 Sudamericana Petrobras realizou a sua 13ª prova do ano que teve todos os contornos dignos de serem comentados longamente por todo os que são supersticiosos e acreditam em tudo o que de positivo e negativo o número traz. No final das contas uma corrida memorável com vitórias merecidas e lições de sobra a serem aprendidas.

O efeito dos semi-eixos

Logo na hora de alinhar para a largada o quarto colocado no grid é recolhido para o Box para trocar um semi-eixo partido na volta de apresentação. Na segunda largada é a vez de Yann Cunha, terceiro no grid ficar parado sem tracão: mais um semi-eixo partido. Bruno Andrade da pole aproveitou para impor seu ritmo e abrir uma boa distância para a disputa pelo segundo lugar entre Nilton Molina (que fez uma excepcional largada de sexto pra assumir a 2ª colocação), o estreante Fabiano Machado e Pietro Fantin.

 

A história da roda traseira esquerda

Quando parecia que o Bruno Andrade teria uma das mais fáceis vitórias do ano, eis que o imponderável entra em cena. Bruno reclama para o Box e a primeira reação é: “furou um pneu.” Mais duas voltas rápidas e volta  Bruno a perder muito tempo (oito segundos) em apenas uma volta. “pneu não é” Mas o Bruno quase sai fora da pista, perde mais tempo e vai se arrastando até terminar em um distante 8º lugar. O problema? A porca que prendia a roda traseira esquerda se soltou, o carro ficou impossível de controlar, sorte do Bruno que a cupilha segurou a porca e a roda, mesmo em um ângulo esquisito, ficou no lugar até fim.

 

A penalização pela bandeira amarela

Já a briga entre os que seguiam o Bruno, já tinha ficada reduzida a apenas Molina e Fantin, depois que Fabiano Machado rodou: “Foi culpa minha mesmo,” declarou esse estreante que impressionou a todos por sua maturidade, “ainda não tenho experiência, mas me esperem” terminou muito satisfeito vendo confirmado o seu segundo lugar na geral, depois da penalização de 20s imposta a Pietro Fantin. O piloto do carro 27 ultrapasou Molina que reclamou que a manobra tinha sido feita sob uma bandeira amarela. Analisando as imagens de TV depois da prova os comissários constataram que a bandeira amarela foi mesmo mostrada o que mandou Fantina para terceiro. Ainda na chegada mais cenas inusitadas com Leo de Souza empurrando o seu carro, que ficou sem combustível, para receber a bandeirada em 6º lugar o que lhe garante a pole na segunda prova deste sábado.

 

A revanche do Kid

Na categoria Light Fernando Kid Resende voltou à sua forma habitual e venceu com facilidade à frente de Ronaldo Freitas que prometeu que tem modificações para fazer para a prova da tarde. O angolano Duarte Ferreira completou o pódio com um terceiro lugar que dedicou ao Presidente de seu país José Eduardo dos Santos que completa 68 anos de idade hoje

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *