F3 Sulamericana: Comunicado sobre o piloto Yann Cunha

Esclarecimento sobre comunicado inverídico publicado pelo piloto Bruno Andrade referente ao campeonato de 2010.

Na última quinta-feira, 26 de abril, o piloto Bruno Andrade emitiu um comunicado à imprensa, no qual teria confirmado o título da temporada de 2010 em cima de Yann Cunha por conta de um protesto feito por Andrade e a equipe Cesário Fórmula na última corrida do campeonato, disputada em 7 de novembro daquele ano, no autódromo de Interlagos (SP), por conta de um incidente envolvendo ambos dentro da pista.
De acordo com os representantes legais de Yann, Carlos Eugenio Lopes (OAB-RJ nº 14.325) e Gustavo de Castro Santos (OAB-DF nº 19.258), a decisão mencionada pelo piloto não é definitiva, ou seja, contra ela ainda cabe recurso, nos moldes do arte 146 e seguintes do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O processo que segue em andamento é o de número STJD-CBA Processo 23/2010-CD. 
Ou seja, a decisão sobre o campeão da temporada em questão ainda está sub-júdice. Extra-oficialmente, Yann terminou a temporada 2010 com 363 pontos, contra 359 de Andrade. Na visão dos representantes jurídicos do piloto Yann Cunha, há uma manipulação dirigindo o resultado do julgamento. 
Curiosamente, todas as datas anteriormente marcadas caiam em uma terça-feira, como sempre foi de praxe, uma vez na terça-feira não existe qualquer evento em andamento ligado a CBA. Essas datas em questão foram adiadas sem nenhuma justificativa elencada pelo STJD. 
Estranhamente, o STJD marcou a quarta data para uma sexta-feira, 30 de março de 2012, na qual se efetuava uma prova de Fórmula Truck, onde o Sr. Carlos Montganer cumpria seu papel de comissário, não podendo, portando comparecer a audiência na qual seria a principal testemunha, onde poderia expor os motivos nos quais tomou a decisão que deu o resultado final ao campeonato de Fórmula 3 sul-americana de 2010. Baseado neste, os advogados do piloto Yann Cunha entraram com o pedido de adiantemento, que foi estranhamente INDEFERIDO. 
Fica claro que tudo foi orquestrado para que o Sr. Montagner não pudesse exercer o seu papel dando o seu testemunho para o assunto, o que é lastimável.
Equipe Yann Cunha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *