F3 Sulamericana: Douglas Hair satisfeito com sua primeira corrida no automobilismo

Piloto de São Paulo estreou na categoria e já marcou seus primeiros pontos no campeonato.

O peso da estréia, para qualquer modalidade do esporte, pode ser um ponto que desestabiliza o atleta e o faz perder rendimento. Quem consegue superar essa dificuldade, pode mostrar logo na primeira oportunidade, seu potencial. É o que aconteceu com o piloto Douglas Hiar (Tx Wear/RG 518/Lion of Porches/BSN), de 16 anos de idade, no último final de semana. Bicampeão brasileiro de kart, Douglas competiu pela primeira fez com monopostos. A estréia aconteceu na primeira etapa da Fórmula 3 Sul-Americana, disputada no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Hiar chegou à categoria também por um time estreante, a Comtec Motorsport capitaneada por Ricardo Colombo – engenheiro com experiência em diversas categorias do automobilismo. Juntos, piloto e equipe não se deixaram levar pelo peso da estréia e fizeram um trabalho excepcional. Nas duas corridas realizadas entre sábado (23) e domingo (24) Douglas Hiar terminou na zona de pontos. “Pontuar na estréia foi além do esperado. Chegamos aqui com o objetivo de conseguir terminar a corrida antes de mais nada. Conseguimos já pontuar e isso é um ótimo sinal”, enfatizou Hiar.

Douglas atraiu as atenções da Fórmula 3 em Interlagos já na sexta-feira. No segundo treino livre da categoria, ele teve o melhor tempo durante a maior parte da sessão. Apenas nos últimos minutos foi superado por dois pilotos que colocaram pneus novos e ainda assim terminou em terceiro, deixando pilotos mais experientes para trás. O nome de Hiar voltou a ser destaque depois da primeira corrida, por conta da largada espetacular que o piloto conseguiu. Ultrapassou mais de cinco carros antes da primeira curva, fez uma excelente prova e terminou em oitavo – marcando seu primeiro ponto na categoria.

“Foram duas corridas bem diferentes para mim. Na primeira larguei muito bem, mas senti que meu desempenho caiu um pouco durante a corrida. Já na segunda prova eu acabei largando mal, mas melhorava o ritmo a cada volta e me recuperei”, comparou Douglas que na segunda prova chegou a cair para último na largada, mas com uma boa prova de recuperação, recebeu a bandeirada final em sétimo. “A tendência é melhorar sempre um pouco a cada etapa, a cada treino. Tomando por base esse começo, tenho grandes expectativas para a temporada de estréia”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *