FIA GT: Xandy e Xandinho Negrão correm nas 24 Horas de Spa

Pai e filho têm carros, classes e parceiros diferentes em prova de resistência.

Na mesma hora e local, mas em boxes diferentes, Xandy e Xandinho Negrão disputam neste final de semana as 24 Horas de Spa-Francorchamps, quarta etapa do FIA GT. Em seu retorno às pistas depois da conquista do bicampeonato brasileiro de GT3 no final de 2008, Xandy estreará no lendário circuito belga ao lado do antigo parceiro Andreas Mattheis e contará com o reforço de Constantino Júnior e Clemente Lunardi no revezamento ao volante do Ford GT3 da equipe suíça Matech. Atualmente na Stock Car, Xandinho volta à categoria pela mesma Vitaphone Racing por onde correu com o Maserati MC12 GT1 na última temporada, ao lado dos campeões e corrente líderes, o alemão Michael Bartels e o italiano Andrea Bertolini. O francês Stéphane Sarrazin completará o time.

Xandinho seguiu para a Bélgica nesta terça-feira. No ano passado, ao lado do então parceiro Miguel Ramos, o campeão sul-americano de Fórmula 3 de 2004 chegou em 2º lugar e assegurou a dobradinha da Vitaphone Racing. Desta vez, Xandinho integrará o carro número 1 da equipe, enquanto o segundo será conduzido por Ramos, pelo compatriota Pedro Lamy, pelo alemão Alex Müller e pelo belga Eric Van de Poele.

“Acho que nossas possibilidades de vitória são boas. Nosso quarteto é formado por pilotos rápidos, experientes e capazes de andar numa batida parecida”, lembrou Xandinho. A programação será aberta na quinta-feira com uma sessão de treinos livres, uma pré-classificação e três tomadas de tempo para a formação do grid, todas no período noturno. “Ainda vamos nos reunir para acertar todos os detalhes, mas a tendência é que o Bertolini ande com os melhores pneus e condições de pista, já que vem sendo o mais veloz do time neste ano. Os demais devem treinar com pneus usados para sentir o carro e a pista”, explicou.

Xandy e Andreas são detentores dos recordes de vitórias, poles e melhores voltas da GT3 no Brasil. Constantino e Lunardi ganharam a etapa de abertura do campeonato deste ano, mas deixaram a categoria pouco depois. Dos quatro, apenas Constantino já conhece o longo traçado de sete quilômetros de seus tempos da extinta Fórmula 3000 na década de 90. Embora o potencial de cada um só vá ser descoberto a partir dos treinos iniciais, Xandy acredita que a equipe não terá problemas de entrosamento. “Corridas de endurance são muito mais decididas pela estratégia do que pela velocidade. Todos aqui são capazes de manter um bom ritmo. O mais importante será evitar os acidentes e ser eficientes nas paradas para reabastecimento, troca de pneus e pilotos.”

A experiência de disputar a mesma prova por esquemas diversos não será inédita para pai e filho. Antes de se reunir para a conquista do bicampeonato brasileiro de endurance de 2004 e 2005, Xandy e Xandinho chegaram a competir como adversários em provas de longa duração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *