FIA WEC: Senna tem novo desafio, na “casa do adversário”

Bruno Senna tem mais uma tarefa difícil nesta final de semana nas 6 Horas de Xangai, oitava e penúltima etapa do Campeonato Mundial de Endurance – FIA WEC. Dez pontos atrás dos líderes da divisão LMP2, o brasileiro e seus companheiros na equipe suíça Rebellion precisam chegar à frente do trio da Jackie Chan Racing formado pelo chinês Ho-Pin Tung, pelo britânico Oliver Jarvis e pelo francês Thomas Laurent e levar a decisão do título para o encerramento do calendário no próximo dia 18 no Bahrein.

Bruno chegou na quarta-feira à China e passou as primeiras horas envolvido com ações promocionais da McLaren, marca para a qual trabalha como embaixador dos carros de turismo. Hoje, esteve no autódromo para fazer o tradicional track walk – o passeio de reconhecimento da pista. Sabe que um ótimo resultado é fundamental para suas pretensões nesta reta final, mas não ignora que o jogo será disputado na “casa do adversário” – a Jackie Chan Racing é de propriedade do famoso ator chinês, especialista em artes marciais. Em compensação, o circuito de 5.451 metros e 16 curvas é um dos favoritos dos seus companheiros. “Tanto o Nicolas Prost quanto o Julien Canal dizem que gostam e andam muito bem nesta pista”, lembrou.

Os ensaios livres, seguindo o modelo da Fórmula 1 e os dois primeiros com duração de 90 minutos, começariam a ser disputados na madrugada da sexta-feira. Num momento de definição, até o ponto extra pela pole ganhou importância redobrada. Se a diferença favorável aos ponteiros não pode ser minimizada, a recuperação de Bruno, Prost e Canal na segunda metade do campeonato vem chamando a atenção. Eles ganharam no México e há duas semanas no Japão, resultados que ajudaram a reduzir uma desvantagem que chegou a 46 pontos. Na verdade, os pilotos da Jackie Chan vêm se segurando no topo da tabela graças à vitória e à pontuação dobrada das 24 Horas de Le Mans, de onde saíram com 34 pontos a mais que os rivais do carro 31 da Rebellion.

Curiosamente, tanto a Rebellion quanto a Jackie Chan vêm se mostrando mais eficientes em ritmo de corrida do que nas tomadas classificatórias. As duas equipes que brigam diretamente foram superadas pelas demais em seis das sete etapas anteriores. Enquanto Bruno e Canal, que novamente devem se revezar no cockpit do Oreca-Gibson no qualifying, ainda brigam pela primeira pole, os parceiros do time chinês só comandaram o pelotão nas 6 Horas de Nurburgring. Bruno, no entanto, tem sido invariavelmente o mais rápido da categoria, mas a formação do grid obedece à média obtida pela soma da melhor volta de cada piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *