Fórmula 2.0: Corrida de estréia tem embate entre veteranos e novatos em São Paulo

Na primeira corrida da mais nova categoria do Campeonato Paulista, Victor Guerin conquistou a segunda posição, atrás apenas do ex-piloto de Fórmula 3 Nathan Silva.

O automobilismo brasileiro ganhou neste fim de semana uma nova categoria voltada a jovens talentos. A Super Fórmula 2.0, que utiliza os carros da extinta Fórmula Renault e passa a integrar a programação do Campeonato Paulista de Velocidade no Asfalto, teve sua primeira prova realizada durante a segunda rodada do estadual, e reuniu estreantes na modalidade e pilotos já experientes no automobilismo.

 

A primeira corrida da história da competição foi vencida pelo ex-piloto de Fórmula 3 e da Fórmula Mazda, Nathan Silva, que largou na pole position e teve como principal adversário o estreante Victor Guerin. Guerin partiu da segunda colocação no grid de largada, e durante as primeiras seis voltas de corrida chegou a ameaçar o líder.

 

“Foi um resultado incrível para a minha primeira prova com monopostos”, vibrou o piloto, que tem um currículo de grandes vitórias no kart. “Em 2008 eu corri na categoria Shifter Kart (de karts com marcha), pois todos diziam que é a melhor categoria para preparar um piloto que visa o automobilismo. A princípio eu não acreditava nessa tese, mas treinando esta semana na Super Fórmula 2.0 percebi o quanto foi importante a experiência com aqueles karts”, lembrou Guerin.

 

A criação dessa nova classe no automobilismo nacional foi o ponto chave para que Victor pudesse deixar os kartódromos e partir para um salto maior na sua carreira. “A categoria chega em um momento oportuno do automobilismo. Acho que ela vai completar uma lacuna muito grande que existia entre a Fórmula São Paulo e a Fórmula 3. Sem contar o apelo ecológico de usar etanol como combustível”, avaliou o piloto.

 

Os carros da Super Fórmula 2.0 utilizam chassis italianos Tatuus e motores Renault de 2.0 litros – adaptados para receber o etanol. São os mesmos carros da Fórmula Renault que, na Europa, revelaram nomes como Felipe Massa, Kimi Raikkonen, Robert Kubica e Lewis Hamilton, entre várias outras estrelas do automobilismo.

 

Para o chefe da equipe Dragão Motorsports, Luiz Trinci – que volta a trabalhar na categoria – a estréia de Victor Guerin revela um nome com grandes chances de evoluir no automobilismo. “A chegada de um novato no automobilismo é sempre cercada de dificuldades, mas o Victor trabalhou muito bem e mostrou velocidade desde o primeiro treino que fez com esse carro. Mesmo sem ter ido para a pista com os pneus da categoria durante os primeiros testes, ele se adaptou rapidamente e logo conseguiu a segunda posição no grid. Vejo esse garoto como um nome de muito futuro no automobilismo e uma grande promessa para a Fórmula 3”, avaliou.

 

A primeira corrida da Super Fórmula 2.0 terminou da seguinte maneira:

1) Nathan Silva (GForce Engenering), em 1h39s169;

2) Victor Guerin (Dragão Motorsport), a 11s724;

3) Nuno Lázaro (LRT), a 30s927;

4) Juninho Fragnani,  a 1m06s685;

5) Jorge Roselli, a 3 voltas;

6) Sara Sanchez, a 17 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *