Fórmula Master: Cantelli Jr. marca seu primeiro ponto no campeonato

“Saldo positivo”. Foi desta forma que o paranaense Claudio Cantelli Jr. definiu sua estréia em circuitos de rua, acontecida neste final de semana na França. Cantelli Jr. disputou a segunda rodada dupla do Campeonato Europeu de Fórmula Master nas ruas de Pau em um circuito que recebe provas de automobilismo desde 1933.

E mais uma vez problemas na tomada de tempos atrapalharam o desempenho de Cantelli Jr. nas duas provas que compunham a rodada. Em um circuito onde as ultrapassagens são uma tarefa extremamente difícil – para não dizer impossível – ter finalizado a tomada de tempos em 16º lugar era sinônimo de um mau resultado. “Meu motor não andava bem. Não tive como obter um lugar no grid melhor do que este”, disse Cantelli Jr., que esperava ter o problema resolvido para a primeira prova, disputada no sábado (2).

Mas logo na volta de apresentação o paranaense constatou que o problema insistia em se manter. Pensando em resolver o problema mais uma vez, ele foi aos boxes para reparos, quando o motor passou a responder de forma mais adequada, e recebeu a bandeirada final em 16º, depois de diversas batidas e abandonos de seus adversários.

A segunda prova foi extremamente positiva para o piloto de Guarapuava. Largando da 16ª colocação, ele recebeu a bandeirada em 8º lugar, marcando assim seu primeiro ponto na competição. “Mais uma vez tive que contar com as batidas e abandonos dos concorrentes, porque aqui em Pau é muito difícil mesmo fazer ultrapassagens”, declarou Cantelli Jr. “Mas estou muito contente, porque terminei as duas provas, uma tarefa por si só muito difícil e que meus dois companheiros de equipe e diversos outros pilotos não conseguiram”, emendou Cantelli Jr., que agora já se prepara para a terceira rodada da competição, que será realizada na República Tcheca, no Autódromo de Brno.

Mas a adrenalina de disputar uma corrida em circuito de rua jamais será esquecida por Cantelli Jr. “É algo fantástico, indescritível. As curvas são ‘cegas’ e eu só respirava quando saia delas. É adrenalina pura passar a centímetros dos muros e guard-rails”, finalizou.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *