FRenault: Mario Romancini anuncia passagem para o automobilismo

Vencedor das duas primeiras edições da Copa Petrobras Sorriso Campeão de Kart e destaque brasileiro no Campeonato Mundial de 2004, piloto paulista acredita que chegou a hora de dar um passo adiante na carreira.

O kart, assim como as demais categorias-escola do automobilismo, é uma fase passageira na carreira de qualquer piloto. Por mais que os jovens simpatizem com essa modalidade e passem anos competindo pelos inúmeros circuitos existentes no Brasil – alguns chegam a correr quase uma década na categoria –, a hora da despedida é inevitável. O ano de 2005 consagrou uma safra de pilotos que representou bem o Brasil nos dois últimos Campeonatos Mundiais, e em 2006 muitos desses nomes começam a anunciar sua saída da modalidade após um longo período de aprendizado.

Nesta segunda-feira (23), o paulista Mario Romancini, duas vezes vencedor da Copa Petrobras Sorriso Campeão e destaque brasileiro no Campeonato Mundial de Kart de 2004 – quando foi vice-campeão da Federation Cup –, anunciou sua passagem para o automobilismo e os objetivos para os próximos anos, que incluem a busca de sua primeira vitória em categorias de monopostos. E a despedida já tem data e local marcados para acontecer: será na terceira edição da Copa Sorriso Campeão, no dia cinco de fevereiro, no Kartódromo de Interlagos, quando o piloto espera se despedir da modalidade como tricampeão do torneio patrocinado pela Petrobras.

“Tive uma fase relativamente curta no kart, mas acumulei muita bagagem nesses mais de quatro anos em que competi no Brasil e no exterior”, disse Romancini. “Por isso me sinto preparado para dar um passo adiante na minha carreira e espero que já nesta primeira temporada eu possa acumular resultados positivos e, quem sabe, até consiga brigar pela primeira vitória”, falou o piloto.

O caminho de Mario Romancini em 2006 deve ser mesmo a Fórmula Renault. Ele já teve um contato com o carro no fim de 2004, quando testou pela equipe Full Time, e impressionou os engenheiros pela rapidez com que se adaptou ao carro. “Gostaria muito de fazer a Fórmula Renault em 2006. Acredito que o campeonato seja muito competitivo e acho a categoria uma ótima opção para quem sai do kart. Já há alguns meses estou correndo atrás de patrocínio para realizar esse objetivo, e acredito que possa estar no grid na primeira corrida do ano”, finalizou o piloto, que planeja fazer os testes coletivos da próxima semana, em São Paulo, para conhecer melhor o carro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *