FRenault: Mario Romancini repete quinta posição no grid e volta a surpreender

Único piloto entre os oito primeiros colocados que não havia testado no circuito de Campo Grande antes dessa etapa, paulista acredita no pódio também na prova de amanhã.

Seu carro é o de número 6, mas é o algarismo 5 que vem se tornando uma espécie de número cabalístico para o paulista Mario Romancini (Full Time Sports) neste início de temporada da Fórmula Renault Brasil. Quinto colocado no campeonato após a rodada dupla de abertura da competição, ele voltou a ser “perseguido” pelo número nos dois treinos classificatórios para as corridas deste fim de semana no Autódromo Internacional de Campo Grande (MS).

No treino classificatório de sexta-feira – válido para a corrida de hoje a tarde – Marinho marcou o quinto melhor tempo e repetiu a posição na sessão da manhã deste sábado. Este treino, encerrado há pouco, definiu a ordem de largada para a corrida de domingo.

“Estar entre os cinco primeiros em um grid de 20 carros é um bom resultado, ainda mais pelo fato de eu só ter conhecido a pista ontem”, declarou o piloto, que foi o único entre os oito primeiros colocados que não havia testado em Campo Grande antes dessa etapa. “Estar em quinto no campeonato em meu ano de estréia também é muito positivo, porque trocar o kart por um monoposto requer, normalmente, algum tempo de adaptação”, completou.

Romancini gostou da coincidência envolvendo o algarismo 5 e declarou que pretende manter a escrita numérica. Mas, obviamente, prefere mudar de algarismo nas próximas provas. “Na primeira etapa e no início desses treinos tem havido coincidências com o número cinco. Antes o cinco do que o 10 ou 20, mas espero que nas próximas corridas eu possa passar para o quatro, para o três, para o dois e, quem sabe, até para o um. Se no fim do campeonato eu conseguir diminuir essa contagem, terei conquistado o meu grande objetivo”, concluiu.

Estreantes são destaque na segunda classificação: O segundo treino de classificação para a rodada deste fim de semana da Fórmula Renault teve, novamente, a boa participação dos pilotos estreantes na categoria. Apesar da primeira fila ter ficado com os veteranos Felipe Lapenna e Douglas Soares, os novatos Cláudio Cantelli, Vinícius Quadros, Mario Romancini e Rodolpho Santos completaram as seis primeiras posições sem nunca ter corrida em Campo Grande. “O mais difícil foi chegar na pista, vestir o macacão e ficar ao lado do carro esperando a briga pela pole”, disse Santos. As tomadas de tempo são o momento em que o piloto mostra do que é capaz ao volante. “É o momento mais nervoso do fim de semana”, completou o representante da Bassani Racing.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *