GP2 Asiática: Bruno Senna lamenta redução de potência

A mudança no regime de giros dos motores da Fórmula GP2 Ásia desagradou ao brasileiro Bruno Senna. Embora os organizadores ainda não tenham confirmado a alteração no regulamento, a atual potência dos motores Renault-Mecachrome deve cair de 600 para 500 cavalos com a diminuição de 9.700 para 8.500 RPM na estréia da nova série, cuja rodada dupla de abertura está marcada para os próximos dias 25 e 26 em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

“O torque também será reduzido e as relações de marchas ficaram mais longas. Minha equipe fez uma simulação em computador, levando em conta as características do circuito de 5,7 quilômetros de Dubai, e a estimativa é que os tempos de volta ficarão quatro segundos piores”, lamentou Bruno, que aponta uma possível justificativa para a decisão. “O regulamento determina que pelo menos um dos dois pilotos de cada equipe seja asiático ou do Oriente Médio. Como vários nomes são muito jovens e sem experiência, essa deve ser a causa da decisão”, especulou.

Recentemente, durante os testes em Barcelona com o carro que substituirá a partir de 2008 o modelo usado nos três primeiros anos da GP2, o atual vice-campeão Lucas di Grassi avaliou o motor com a potência diminuída. “Ele me falou que o carro ficou muito devagar. Disse que dá para enfiar o pé no acelerador que não acontece nada”, contou Bruno, sem esconder a insatisfação.

Com o adiamento da viagem, originalmente prevista para domingo passado, Bruno só deveria seguir nesta terça-feira de Londres para os Emirados Árabes Unidos. Lá, seu primeiro compromisso será o ajuste do banco do carro da iSport International. Além dele, o Brasil será representado por Alberto Valério, campeão sul-americano de Fórmula 3 de 2005 que passou pela Fórmula 3 inglesa nas duas últimas temporadas. Valério estreará pela equipe italiana Durango. Neste início de semana, no entanto, o piloto mineiro foi impedido de entrar em Dubai por falta de visto no passaporte.

Antes da primeira etapa, as 13 equipes inscritas realizarão quatro dias de testes (19, 20, 22 e 23) em Dubai, que receberá também o encerramento do campeonato nos dias 11 e 12 de abril. O calendário de 10 corridas prevê ainda rodadas duplas na Indonésia (16-17 de fevereiro), Malásia (22-23 de março) e Bahrein (5-6 de abril). No ano que vem, de acordo com os promotores, o número de eventos subirá para oito, com 16 etapas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *