GP2 Asiática: Nadando em petróleo, Emirados Árabes abrem GP2 Ásia

Décimo-primeiro maior produtor mundial de petróleo, donos de reservas estimadas em mais de 90 bilhões de barris, os Emirados Árabes Unidos abrem nesta sexta-feira a programação oficial da estréia da Fórmula GP2 Ásia.

A série foi criada na esteira do sucesso da categoria original – a Fórmula GP2 – com o propósito de incrementar o automobilismo numa região onde novos e modernos autódromos se multiplicaram nos últimos anos, bem como atrair a participação dos pilotos locais.

A rodada dupla inaugural será realizada em Dubai, segundo mais importante da federação de sete emirados localizada na Península Arábica. Em seus pouco mais de 77 mil km2 vivem apenas cerca de quatro milhões de habitantes – metade estrangeira, notadamente trabalhadores indianos, paquistaneses e iranianos atraídos pela riqueza proporcionada pela indústria do petróleo.

A opulência encontrada surpreendeu os brasileiros. Em seu primeiro contato com Dubai, que receberá também as duas últimas etapas do calendário em abril, Bruno Senna espantou-se com a vertiginosa transformação que o país vem atravessando. Além de hotéis de elevadíssimo padrão e estradas com múltiplas pistas de rolamento, o emirado se converteu em meca do esporte neste início de ano. “Foram promovidos torneios de futebol com a presença de clubes importantes da Europa e do Brasil, além de uma maratona com a maior premiação já paga em provas de longa distância. Os vencedores entre homens e mulheres ganharam cada 250 mil dólares de prêmio, quase 500 mil reais. E ainda havia bonificação de um milhão de dólares se o recorde mundial fosse quebrado. O etíope (Haile Gebrselassié) que ganhou a prova em duas horas, quatro minutos e cinqüenta e três ficou a apenas 27 segundos dessa bolada”, comentou o brasileiro.

Dubai promoverá quatro das 10 etapas do calendário – as demais serão na Malásia, Indonésia e Bahrein -, mas o dinheiro que parece voar para todos os lados por aquela região não engordará a conta bancária dos pilotos. “Para nós não vai sobrar nada”, divertiu-se Bruno. “Hoje mesmo, durante o coquetel de apresentação do campeonato, os organizadores anunciaram que a Sansonite será a patrocinadora principal. Mas já sei que não vou ganhar nem uma mochila”, resignou-se Bruno, que desponta como um dos principais favoritos e poderá conquistar seu primeiro título desde a tardia estréia nas pistas em 2004. Ele está estreando pela iSport International, campeã de 2007 com o alemão Timo Glock, e tem tudo para repetir a vitória conquistada no GP da Espanha do ano passado.

O formato da disputa obedecerá ao sistema do campeonato internacional. Amanhã, às 8 horas locais (seis horas à frente do horário de Brasília), os 26 pilotos entrarão na pista para 30 minutos de ensaios livres. A tomada classificatória, novamente em meia hora, será realizada das 11 às 11h30. A largada para a primeira bateria está marcada para as 13h30, com duração de 42 voltas. Sábado, às 13 horas, os oito melhores da prova da véspera sairão em posições invertidas para as 28 voltas da corrida de fechamento do programa. A parte técnica, no entanto, sofreu alterações. Os carros são os mesmos utilizados na Fórmula GP2 de 2005 até 2007 e que serão substituídos por uma nova geração a partir de 2008 na série principal. Os motores tiveram a potência reduzida de 600 para 500 cavalos, a fim de facilitar a adaptação dos novatos.

Além de Bruno Senna, o Brasil será representado por mais dois nomes: Alberto Valério, campeão sul-americano de Fórmula 3 de 2005, e Diego Nunes, que veio da Fórmula 3000 européia.

A lista completa de equipes e pilotos é esta:

iSport International
Bruno Senna (Brasil)
Karum Chandhok (Índia)

ART GP
Romain Grosjean (França)
Stephen Jelley (Inglaterra)

Qi- Meritus Mahara
Luca Filippi (Itália)
Hiroko Yoshimoto (Japão)

Piquet Sports
Marco Bonanomi (Itália)
Marcello Puglisi (Itália)

DAMS
Jerome D’Ambrosio (Bélgica)
Kamui Kobayashi (Japão)

Trident
Ho-Ping Tung (China)
Harald Schleghelmilch (Letônia)

FMS International
Adrian Vallés (Espanha)
Michael Herck (Romênia)

Super Nova Racing
Faruz Fauzy (Malásia)
Christian Bakkerud (Dinamarca)

Durango
Davide Valsecchi (Itália)
Alberto Valério (Brasil)

Campos GP
Vitaly Petrov (Rússia)
Diego Nunes (Brasil)

DPR
Andy Soucek (Espanha)
Armaan Ebrahim (Índia)

BCN Competición
Jason Tahinci (Turquia)
Milos Pavlovic (Sérvia)

Arden
Sébastien Buemi (Suíça)
Adam Khan (Paquistão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *