GP2 Series: Adam Carroll vence a primeira corrida na Hungria; acidente tira Xandinho da prova

O irlandês Adam Carroll, da Fisichella Motor Sport, venceu neste sábado a abertura da rodada dupla da Fórmula GP2 em Hungaroring. O GP da Hungria foi marcado pelo elevado número de abandonos e um acidente espetacular na reta dos boxes envolvendo o italiano Luca Filippi (SuperNova), que arrastou também o brasileiro Xandinho Negrão (Medley). Sem espaço para evitar o choque com o carro de Vitaly Petrov, que rodou na confusão que se formou, Xandinho deixou o cockpit ileso depois de acertar o russo da Campos GP. O japonês Kazuki Nakajima (DAMS) e o austríaco Andreas Zuber (iSport) completaram o pódio, enquanto Lucas di Grassi (ART GP) terminou em 4º. Bruno Senna (Arden), o terceiro brasileiro na categoria, chegou em 13º.

O resultado final acabou sendo bom para Di Grassi, que saiu em terceiro e assumiu a liderança com uma bela largada. Ainda nas primeiras voltas, no entanto, o pole e líder do campeonato Timo Glock (iSport) tomou a ponta enquanto Di Grassi antecipava a parada para troca de dois pneus. Quando Glock fez o seu pit stop, deu azar: os mecânicos se atrapalharam com a roda traseira direita e o alemão perdeu muito tempo, além de voltar à pista no meio do tráfego. Carroll, que herdara a ponta, foi beneficiado pela entrada do safety car na esteira do múltiplo acidente iniciado por Filippi, parou nos boxes e em seguida recuperaria a primeira posição.

“Deu para assustar”, contou Xandinho, ainda aliviado por ter escapado sem qualquer ferimento de uma pancada potencialmente perigosa. “Logo depois que entrei na reta, só vi o poeirão levantando. Saí para o lado, passei sobre uma peça, e achei que já estava livre do perigo. De repente, dei de cara com o Petrov parado. Pensei: essa vai ser forte. Felizmente, apesar do impacto forte, não me machuquei e o único prejuízo no meu carro foi o bico destruído”, contabilizou.

Até o instante da batida, Xandinho vinha levando a cabo a estratégia planejada pela Minardi Piquet Sports. Saindo em 19º, abreviou a permanência na pista para trocar os pneus mais cedo e tentar pegar a pista limpa. “O carro estava rendendo bem. Minha largada não foi das melhores, mas consegui fazer algumas ultrapassagens e estava com a volta mais rápida até a hora de entrar nos boxes. Foi uma pena. O pior é que a batida complicou todo o fim de semana. Amanhã, largando lá atrás, nesse circuito estreito e com uma corrida mais curta, tudo será mais difícil”, admitiu.

Apesar da tentativa de reação nas últimas voltas, Glock cruzou a linha de chegada em 10º, fora da zona de pontos, e viu a vantagem sobre Lucas di Grassi no campeonato cair para apenas 4. O vice-líder poderá diminuir a diferença, já que – em função do sistema de grid invertido dos oito primeiros na primeira corrida – largará em quinto neste domingo. O espanhol Javier Villa (Racing Engineering) partirá da pole.

O resultado final da 13ª etapa da Fórmula GP2 foi este:
1 – Adam Carroll (Irlanda), FMS, 41 voltas em 1h06min39s582
2 – Kazuki Nakajima (Japão), DAMS, a 0s714
3 – Andreas Zuber (Áustria), iSport, a 1s156
4 – Lucas di Grassi (Brasil), ART GP, a 12s204
5 – Borja García (Espanha), Durango, a 13s702
6 – Roldán Rodríguez (Espanha), Minardi Piquet Sports, a 17s513
7 – Adrian Zaugg (África do Sul), Arden, a 31s138
8 – Javier Villa (Espanha), Racing Engineering, a 31s455
9 – Ho-Pin Tung (China), BCN Competición, a 31s994
10 – Timo Glock (Alemanha), iSport, a 32s399

A nova classificação do campeonato:
1, Timo Glock, 55 pontos;
2, Lucas di Grassi, 51;
3, Luca Filippi, 35;
4, Kazuki Nakajima, 33;
5, Giorgio Pantano, 28;
6, Andreas Zuber, 26;
7, Pastor Maldonado, 25;
8, Bruno Senna, 24;
9, Javier Villa, 22;
10, Adam Carroll, 19;
21, Xandinho Negrão, Antonio Pizzonia e Michael Ammermüller, 21.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *