GP2 Series: Após acidente com cão, FIA promete punição

Brasileiro Bruno Senna atropelou cachorro no circuito de Istambul.

O incidente do último domingo, quando o piloto brasileiro Bruno Senna atropelou um cachorro durante a etapa turca da GP2, não passará impune para a FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Pela primeira vez falando à imprensa sobre o ocorrido, Charlie Whiting, diretor de provas da Fórmula 1, prometeu punir os responsáveis pelo Grande Prêmio de Istambul.


“Como é possível acontecer algo assim em um circuito moderno como esse. As excelente condições da pista fizeram com que incluíssemos a Turquia no calendário”, explicou o dirigente.


Autoridades da FIA, segundo o site F-1 Live, devem levar nos próximos dias o caso ao Conselho Mundial de Automobilismo, responsável por julgar questões de segurança e aplicar punições a pilotos, equipes e organizadores.


Além da morte do cachorro, o carro de Bruno sofreu avarias na suspensão e asa dianteiras e, por sorte, não houve conseqüências maiores para o piloto, que conseguiu levar o carro para os boxes sem novos incidentes.


O cão morto não foi o único visto andando solto no circuito, o que exigiu a intervenção do safety car na pista até que a situação fosse controlada. Para a disputa do Mundial de Fórmula 1, momentos depois da GP2, os procedimentos de segurança foram redobrados para que não houvesse outras ocorrências.


Whiting soltou uma nota oficial logo após a prova lamentando o ocorrido e pela primeira vez falou em punir os turcos pelo incidente. “Isso é um sério problema de segurança no circuito. Já pensou se acontece algo durante a corrida da Fórmula 1? A comissão de segurança da FIA fará uma investigação completa para descobrir onde aconteceram as falhas que possibilitaram a invasão dos cães”, completou.


Curiosamente, o circuito de Istambul – popularmente conhecido como “Otodrom” -, foi adquirido no ano passado pelo chefe-executivo da Fórmula 1, Bernie Ecclestone. O incidente de domingo não é o primeiro a envolver um cão na história da categoria.


Em 2004, os treinos livres para o Grande Prêmio do Brasil tiveram de ser interrompidos devido a uma invasão canina na pista. Felizmente, nenhum animal foi machucado. Pelo contrário. O heptacampeão Michael Schumacher se encantou por um dos invasores e o levou consigo para sua casa, na Suíça. 
  
 
Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *