GP2 Series: Bruno Senna tenta “fechar” objetivo em Valência

Brasileiro pode subir para a quinta colocação no fechamento do calendário.

Oitavo colocado na classificação, mas a apenas dois pontos de distância do trio que divide a quinta posição, Bruno Senna tem neste final de semana a chance de coroar o ano de estréia na Fórmula GP2 dentro da expectativa traçada antes da abertura do calendário: terminar entre os 10 primeiros e, se possível, dentro dos Top 5. A rodada dupla em Valência (Espanha) define também o campeão da categoria entre o alemão Timo Glock e o brasileiro Lucas di Grassi.

Vencedora de uma corrida no ano passado na pista espanhola, a Arden International levou um técnico de telemetria da Red Bull para acompanhar Bruno Senna. A equipe de GP2 é de propriedade do inglês Christian Horner, dirigente do time da Fórmula 1. “Na verdade, a presença dele em Valência está mais ligada à próxima temporada, mas todo reforço é bem-vindo”, comentou Bruno Senna, que vai continuar na divisão de acesso à F1 por mais um ano.

Bruno Senna chegou à Espanha na quarta-feira e também ficou intrigado com a programação da Fórmula GP2 em Valência. Amanhã, além dos treinos livres e válidos para a formação do grid, será disputada a 20ª etapa, na distância de 45 voltas e a parada obrigatória para troca de dois pneus. Domingo, haverá apenas o warm-up e a prova mais curta, com 30 voltas. “Não entendi para que servirá esse warm-up. Está fazendo frio e a temperatura da pista estará muito baixa”, estranhou.

Apesar de novato na Fórmula GP2, Valência é um dos poucos circuitos que Bruno Senna conhecia. “Foi aqui que fiz meu primeiro teste com um Fórmula BMW quando vim para a Europa em 2004”, lembrou. Durante o reconhecimento do traçado, Bruno Senna constatou apenas uma ou outra alteração na pista. “Uma das chicanes foi modificada e ficou parecida com a de Barcelona, onde colocaram blocos para impedir que os pilotos passassem direto por cima dela, sem fazer a curva.”

Com 34 pontos, Bruno Senna tem na alça de mira o irlandês Adam Carroll, o espanhol Javier Villa e o japonês Kazuki Nakajima, todos com 36. Matematicamente, ele poderá alcançar até mesmo o italiano Giorgio Pantano, quarto colocado com 49. Vinte pontos estarão em jogo nas duas corridas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *