GP2 Series: Desgaste de pneus e preparo físico podem fazer a diferença na corrida de Portugal

Para o brasileiro Luiz Razia, percorrer 39 voltas no seletivo circuito de Portimão será uma prova de fogo tanto para os pilotos, quanto para os carros na etapa deste sábado

A corrida que abre a rodada dupla de encerramento da Fórmula GP2 em 2009 deve representar um dos maiores desafios do ano para os pilotos da categoria. A opinião é do brasileiro Luiz Razia, vencedor da segunda prova realizada em Monza, na Itália, na semana passada. Após os treinos livres e de classificação desta sexta-feira, o piloto baiano concluiu que as características do novo circuito de Portimão, em Portugal, contribuirão para o desgaste dos pneus, e para o cansaço físico dos competidores.

“Será uma corrida divertida, porque a pista é muito legal, cheia de subidas e descidas. Mas, ao mesmo tempo, teremos uma prova bastante desgastante já que o traçado tem poucas retas e algumas curvas de alta velocidade. Como a prova de sábado é mais longa, terá 39 voltas, quem não se cansar ou não tiver problemas de pneus pode surpreender no final”, prevê Razia.

Na primeira parte do treino classificatório desta sexta-feira, o brasileiro parou nos boxes para a colocação do segundo jogo de pneus novos ocupando a décima posição no grid – um resultado que, se tivesse sido confirmado, o deixaria bem próximo da zona de pontos na penúltima corrida do ano. Na segunda saída, no entanto, Razia acabou sendo atrapalhado em sua melhor volta por Ricardo Teixeira, e não conseguiu melhor a marca de 1min32s140 obtida minutos antes.

Com esse resultado, ele larga em 16º na etapa de amanhã, e terá mais uma corrida de recuperação pela frente. “Novamente, a meta é fechar essa prova entre os oito primeiros, para que eu possa brigar pela vitória na corrida de domingo, como aconteceu em Monza”, declarou Razia. “Minha situação no grid é mais ou menos a mesma da corrida passada, mas desta vez existe o agravante da pista estar seca. Sem chuva, é mais difícil ganhar posições, e a esperança é apostar no preparo físico. Também será preciso tomar cuidado para não desgastar demais os pneus”, encerrou o brasileiro.

A primeira pole position no circuito de Portimão foi intensamente disputada pelos seis primeiros colocados no grid. O brasileiro Lucas Di Grassi permaneceu na liderança durante boa parte da sessão, mas nos minutos finais tornou-se impossível apontar um favorito à primeira posição. O treino terminou com o russo Vitaly Petrov na pole, com uma vantagem de apenas 0s040 para o segundo colocado, Dani Clos – companheiro de Di Grassi na Racing Engeneering.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *