GP2 Series: Ex-chefe de Bruno Senna vê brasileiro em situação complicada

Chefe da iSport, equipe da Fórmula GP2 com a qual Bruno Senna foi vice-campeão em 2008, Paul Jackson acredita que o brasileiro está em uma situação complicada. Isso porque o sobrinho do tricampeão mundial Ayrton Senna depende da compra da estrutura deixada pela Honda para estrear na Fórmula 1.

Um retorno à iSport é uma opção descartada para Senna, visto que a equipe já anunciou os seus dois pilotos para 2009: o brasileiro Diego Nunes e o holandês Giedo van der Garde. “É uma situação que está se arrastando. No começo, a possibilidade dele com a Honda era promissora, mas com o anuncio da saída da equipe da Fórmula 1, tudo foi pelos ares”, afirmou o dirigente à Crash.net Radio.

Jackson comentou que a certeza de que o brasileiro estaria na principal categoria do automobilismo mundial este ano era tanta, que ele sequer cogitou trabalhar com Bruno nesta temporada.

“Desde o começo sempre achamos que ele conseguiria algo na Fórmula 1. Consequentemente, testamos vários outros pilotos. Temos um bom relacionamento e as portas estariam abertas para ele, mas a verdade é que nenhuma decisão real foi tomada e nos colocou em uma situação difícil. Temos um negócio”, explicou.

O chefe da iSport teme ainda o que pode acontecer com o brasileiro caso ele opte por fazer mais um ano de GP2. “Senna está em uma situação de desvantagem. Voltar à GP2 representa um risco, já que, se ele não repetir o segundo lugar de 2008, pode ser considerado uma espécie de fracasso”, alertou.

Outra possibilidade para Senna em 2009 é ser piloto de testes, mas o brasileiro já disse que não quer exercer somente este cargo por conta da limitação de treinamentos este ano – as regras dizem que enquanto o campeonato tiver em curso ninguém pode treinar fora dos finais de semana de corrida.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *