GP2 Series: Luca Filippi vence a última prova do ano

O italiano Luca Filippi, da Super Nova, venceu neste domingo (20/09), em Imola, a 20ª e última prova o ano, complemento da 10ª rodada dupla da temporada. O espanhol Javier Villa completou a dobradinha da Super Nova. O espanhol Dani Clos, da Racing Engineering, foi o 3º.

O venezuelano Johnny Cecotto Jr, da DPR, parou no grid, com a largada sendo anulada. Contudo após uma nova volta de apresentação (com a prova sendo reduzida em uma volta) e a formação de um novo grid, o russo Vitaly Petrov, da Barwa Addax, ficou parado.

Vários carros conseguiram evitar o carro do russo, porém o romeno Michael Herk, da DPR, não conseguiu evitar a batida, acertando a traseira do carro de Petrov em alta velocidade, e rodando para dentro do muro dos pits.

Petrov saiu sozinho do carro, com Herk tendo que ser removido pela equipe médica. O romeno estava consciente, sendo levado para um hospital próximo, para exames.

A batida deixou a reta principal coberta de detritos, necessitando de um longo período para a limpeza da pista. Cerca de meia hora depois os pelotão se reagrupou, atrás do Safety-Car. O austríaco Andreas Zuber, da Coloni, liderava, seguido pelo italiano David Valsecchi, da Barwa Addax, o japonês Kamui Kobayashi, da Dams, o brasileiro Lucas di Grassi, da Racing Engineering, Filippi, o alemão Nico Hülkenberg, e o venezuelano Pastor Maldonado, ambos da ART.
    .
Na 6ª volta o Safety-Car se preparou para entrar nos boxes, com Zuber puxando o pelotão. O austríaco acelerou antes do da hora, ultrapassando o carro de segurança enquanto ele ainda entrava nos boxes. Zuber foi seguido por Valsecchi, Kobayashi, di Grassi, Hülkenberg e Maldonado. Como resultado os seis, pouco depois, receberam um drive-though.

Com as punições, Filippi assumiu a liderança, vencendo facilmente pela primeira vez no ano. Após a prova, o mexicano Sérgio Perez, da Arden, que havia cruzado na 2ª posição, foi punido com o acréscimo de 25 segundos no tempo final por ter ultrapassado com o Safety-Car na pista, caindo para a 11ª posição.

Com Villa passando para segundo, a Super Nova comemorou a dobradinha. O espanhol Dani Clos, da Racing Engineering, foi promovido ao pódio. O português Álvaro Parente, da Ocean, foi para a 4ª posição, com a dupla da iSport,  o brasileiro Diego Nunes, e o holandês Giedo van der Garde, completando a zona de pontos da prova curta.

Perez também perdeu o ponto da melhor volta, que passou para Filippi.

Entre os outros três brasileiros na prova, Alberto Valério, da Piquet GP, terminou em 7º, Di Grassi, 15º, e Luiz Razia, da Coloni, na 17ª posição.

Final:

1 – Luca Filippi – Super Nova – 24 voltas em 1h01m55s822
2 – Javier Villa – Super Nova – 8″3
3 – Dani Clos – Racing Engineering – 9″0
4 – Alvaro Parente – Ocean – 9″4
5 – Diego Nunes – iSport – 13″6
6 – Giedo Van der Garde – iSport – 13″9
7 – Alberto Valerio – Piquet GP – 19″3
8 – Edoardo Mortara – Arden – 21″6
9 – Davide Rigon – Trident – 21″8
10 – Jerome D’Ambrosio – Dams – 24″0
11 – Sergio Perez – Arden – 29″1*
12 – Andreas Zuber – PartyPoker Coloni – 30″2
13 – Karun Chandhok – Ocean – 33″4
14 – Davide Valsecchi – Barwa Addax – 33″8
15 – Lucas Di Grassi – Racing Engineering – 34″7
16 – Nico Hulkenberg – ART – 35″0
17 – Luiz Razia – PartyPoker Coloni – 39″5
18 – Johnny Cecotto – DPR – 50″6
19 – Kamui Kobayashi – Dams – 51″7
20 – Pastor Maldonado – ART – 52″5
21 – Ricardo Teixeira – Trident – 1 voltas
* Punido com o acréscimo de 25 segundos, por ultrapassar com o Safety-Car na pista

Abandonos:

Roldan Rodriguez – Piquet GP – 5 voltas
Vitaly Petrov – Barwa Addax – 0 volta
Michael Herck – DPR – 0 volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *