GP2 Series: Lucas briga por milagre neste domingo

Brasileiro fez o que pôde para tentar chegar em uma posição pontuada, mas acidentes e a chuva intermitente levaram a um desfecho que acabou favorecendo Timo Glock.

 


As coisas não deram certo para o brasileiro Lucas Di Grassi na primeira das duas corridas que decidirão o título da GP2 entre ele e o alemão Timo Glock. Na prova disputada neste sábado em Valência (Espanha), um toque na largada desequilibrou o bólido de Lucas, que a partir de então entrou em uma prova de recuperação ponteada por dificuldades e surpresas nada agradáveis. No resultado final, Glock, que havia largado em segundo, terminou na sétima posição, somando mais dois pontos. Lucas, de seu lado, abandonou depois de sair da pista quando começou a chover subitamente e o brasileiro ainda estava com pneus de piso seco. Agora o alemão soma quatro pontos de vantagem e Lucas praticamente precisa de um milagre para ser campeão. A corrida deste domingo terá largada às 7h00 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pela Sportv.


Na largada, Di Grassi, conhecido na categoria por suas saídas agressivas, saiu do sétimo lugar e acabou espremido entre dois carros, sendo tocado pelo francês Nicolas Lapierre, que abandonou no incidente. A partir de então o Dallara/Renault do brasileiro não foi mais o mesmo, sofrendo de desequilíbrio devido a problemas na suspensão provocados pela batida. “Passei a fazer uma corrida meio de salvação tentando ganhar terreno de volta de qualquer jeito”, conta Di Grassi. “Fui para o box para colocar pneus slick (havia largado com pneus intermediários, mais lentos mas apropriados para piso úmido) pois nossa equipe achou que deveríamos arriscar. Me mandaram pisar fundo para tentar chegar em uma posição pontuada, e foi o que fiz. Mandei ver. Mas a chuva chegou e caiu só em alguns trechos da pista de forma intermitente. Foi justamente em um deles, no final do retão, que tudo acabou de vez para nós nessa corrida. Peguei uma lâmina d’água, que não seria problema com pneus intermediários ou de chuva, mas que com os slick mais parecia um piso ensaboado. Tentei entrar na curva com cuidado, mas assim que virei o volante o carro fez o que quis, eu fiquei só assistindo. Era o fim da corrida”.


A vitória coube ao russo Vitaly Petrov. Com o resultado, Glock, que chegou em sétimo e largará do segundo lugar devido à regra que inverte na segunda corrida a posição dos oito primeiros na prova do sábado, precisa apenas de um quarto lugar para não depender do resultado de Lucas. O brasileiro, de seu lado, sairá do 22º posto, pois abandonou a corrida ainda na sexta volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *