GP2 Series: Pizzonia quer brigar pelo título da temporada

Estréia na competição e na pista desértica traz mais expectativa para o amazonense.

A Fórmula GP2 já está mais do que pronta para iniciar sua temporada 2007. Novas equipes, pilotos e disputas agitarão este final de semana no Oriente Médio, onde a modalidade fará a prova preliminar do GP do Bahrein de Fórmula 1, dividida em duas provas, nos dias 14 e 15 de abril, no circuito de Sakhir. Por ser uma das pistas mais novas do calendário mundial, mesmo alguns pilotos experientes terão um novo desafio pela frente. “De todo o calendário da GP2, apenas no Bahrein e na Turquia ainda não tive a oportunidade de pilotar, o que aumenta a expectativa em torno da minha estréia e a possibilidade de disputa pela vitória”, comentou o brasileiro Antonio Pizzonia, da Fisichella MotorSport. A GP2 terá a transmissão ao vivo pelo canal SporTV.

Mesmo sendo um estreante no certame com o Dallara-Renault e também no traçado barenita de 5.417 metros, Pizzonia acredita que a dificuldade maior será o nível das equipes adversárias, onde a ART e a iSport mostram grande experiência nos acertos dos carros. “Este será um final de semana difícil. Nossa equipe tem um engenheiro novo, com passagens em outras categorias, mas não na GP2, onde em especial é exigido muito do acerto do carro, pois são ajustes completamente diferentes para o treino classificatório, corrida curta e a mais longa. Esse é o ponto forte das equipes apontadas como favoritas”, explicou.

O piloto que já teve experiências pelas equipes Jaguar e Williams de Fórmula 1 também deixa de lado qualquer parâmetro imposto pela pré-temporada. “Durante os testes, você nunca sabe o que os outros estão fazendo, então, qualquer vantagem em termos de tempo de volta ou velocidade naquelas ocasiões já não valem mais nada. Tudo começa neste final de semana”, opinou o amazonense de 26 anos de idade.

Entre os pilotos que já foram observados e aprovados nos dois últimos anos pela GP2 Series, estão os três primeiros colocados de 2005, Nico Rosberg (Williams), Heikki Kovalainen (Renault) e Scott Speed (Toro Rosso), além do campeão de 2006, o inglês Lewis Hamilton (McLaren). O brasileiro Nelsinho Piquet (Renault) e o alemão Timo Glock (BMW) ficaram em segundo e terceiro lugares respectivamente no ano passado, e também já alcançaram o lugar de pilotos de testes na categoria máxima do esporte a motor. “Apesar de ser uma tarefa muito difícil, o objetivo é o título da categoria. Sabemos que os últimos campeões conseguiram vaga na Fórmula 1 pela porta da frente, e é isso que todos aqui desejam. Por ser a preliminar de algumas provas da Fórmula 1, muita gente estará nos observando”, concluiu Antonio Pizzonia.

Com nada menos que cinco brasileiros na categoria, crescem as chances do verde e amarelo fazer sucesso no pódio. Além de Pizzonia pela FMS, o país será representado por Bruno Senna na Arden, Lucas Di Grassi na ART, Sergio Jimenez na Racing Engineering e Xandinho Negrão na Minardi/Piquet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *