GP2 Series: Quebra a apenas duas voltas tira Lucas da liderança do torneio

Carro falha em momento crucial para a disputa do título. Di Grassi ocupava a segunda colocação e terminaria o dia como o novo líder da pontuação.

O brasileiro Lucas Di Grassi foi impecável neste sábado, durante a 16ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula GP2. Mas, mesmo assim, o paulista de 23 anos acabou apenas na 14ª posição, depois de ocupar o segundo lugar por 30 voltas e meia das 32 programadas para a corrida. Com uma distância relativamente confortável em relação ao terceiro colocado, o italiano Luca Filippi, o brasileiro só perdeu a segunda colocação momentaneamente na hora da troca obrigatória de pneus, na 10ª volta. De resto, foi o dono da posição, resultado que o colocaria na liderança isolada do torneio. Mas a quebra do câmbio de seu carro, que foi a grande surpresa da prova e provavelmente a falha mecânica mais importante da temporada, colocou um fim dramático ao trabalho perfeito do jovem brasileiro e da equipe ART Grand Prix durante o fim de semana.

“As marchas não engatavam mais”, conta ele. “Eu tentava, mas o câmbio retornava para a posição neutra. Então, parecia que tudo já estava perdido, faltando apenas uma volta e meia”. Di Grassi chegou a estacionar o carro em um local seguro mas, logo em seguida, o Dallara/Renault voltou a funcionar. Mas já era tarde. “Foi tão inesperado quanto a quebra. Eu simplesmente tentei o engate uma última vez, com o carro já parado, e ele começou a andar”. Lucas retornou à pista na 14ª posição, e não pontuou.

Com o resultado, o alemão Timo Glock, que largara em oitavo e ocupava então a quarta posição, ganhou o terceiro lugar e somou mais seis pontos aos dois que já tinha de vantagem sobre o brasileiro na pontuação geral. Agora, o ex-piloto de Fórmula 1 soma 72 pontos contra 64 de Lucas Di Grassi. “Para falar a verdade, nós (ele e a equipe ART) formos bem competitivos durante todo o fim de semana. Então, esse resultado realmente não reflete o trabalho que fizemos. Mas o campeonato ainda está longe de ser decidido. Vamos brigar até o fim”. Já no box, Lucas foi recebido com uma manifestação de solidariedade pela equipe. “Imagine só: não tivemos uma falha sequer, nosso pit stop foi impecável, fizemos um grande acerto do chassi… acho que trabalhamos melhor do que em qualquer outro fim de semana que estivemos juntos. Então, está todo mundo chocado, mas todos que falaram comigo disseram que ainda vamos virar esse jogo. E eu só tenho motivos para acreditar nessa equipe. É nessa hora que a gente conhece mesmo o que é um time coeso e profissional”.

Ao todo, ainda há 47 pontos em jogo se somadas as possibilidades disponíveis na prova deste domingo, válida pela 17ª etapa, e das duas rodadas duplas restantes, na Bélgica (dia 16/9) e na Espanha (30/9). A vitória em Monza ficou com o italiano Giorgio Pantano, que também venceu as duas corridas da rodada dupla de 2006, quando o campeão foi o inglês Lewis Hamilton, grande revelação da F-1 em 2007. Valendo pela 17ª etapa, a corrida complementar da rodada dupla da Itália da GP2 terá largada às 5h da manhã deste domingo, no horário de Brasília.

Confira o resultado da 16ª etapa:

1) Giorgio Pantano (Itália, Campos Racing)
2) Luca Filippi (Itália, Super Nova)
3) Timo Glock (Alemanha, iSport)
4) Bruno Senna (Brasil, Arden)
5) Karum Chandhok (Índia, Durango)
6) Javier Villa (Espanha, Racing Engineering)
7) Sebstien Buemi (França, ART)
8) Ricardo Risatti (Argentina, Trident)
14) Lucas Di Grassi (Brasil, ART)
15) Xandinho Negrão (Brasil, Minardi-Piquet)


Classificação após 16 etapas:

1) Timo Glock (Alemanha), 72 pontos; 2) Lucas Di Grassi (Brasil), 64; 3) Giorgio Pantano (Itália), 49; 4) Luca Filippi (Itália), 45; 5) Kazuki Nakajime (Japão), 36; 6) Adam Carroll (Irlanda), 34; 7) Javier Villa (Espanha), 31; 8) Bruno Senna (Brasil), 30; 18) Xandinho Negrão (Brasil), 8 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *