GT3 Brasil: 4ª etapa tem nova vitória do Lamborghini

Vantagem em relação ao segundo colocado foi bastante superior em relação à da prova anterior, realizada pela manhã. Mesmo assim, prova contou com várias disputas.

O Lamborghini Gallardo deixou o traçado de Curitiba com quase 100% de aproveitamento. Não fossem as duas voltas mais rápidas estabelecidas pelo Ferrari F430 da dupla Cláudio Ricci/Walter Derani, o carro italiano conduzido por Paulo “Boni” Bonifácio e Alceu Feldmann teria assinalado todos os principais marcos da disputa. No cômputo geral, o Lambo registrou as duas pole positions e conquistou as duas vitórias colocadas em jogo no fim de semana pelo Brasil GT3 Championship.

A terceira etapa foi realizada na parte da manhã e viu uma seqüência de incidentes alterar diversas vezes a relação de forças na pista. Um deles foi dramático: na 22ª das 37 voltas da corrida um pneu furado tirou Feldmann/Boni da liderança. Pela primeira vez, o Gallardo parecia fadado a posições menos expressivas na temporada. Mas uma seqüência de batidas e a alternância de posições, inclusive com a intervenção do Lobini H1 Safety Car (fato que reagrupou os competidores e permitiu a reaproximação do Lamborghini) colaborou para a notável recuperação de Alceu e Paulo, que conquistaram assim sua segunda vitória no ano.

Na quarta etapa, o carro laranja do paranaense Feldmann e do paulista Boni cruzou a linha de chegada na dianteira com uma vantagem superior a 41 segundos para a dupla segundo colocada, Xandy Negrão/Andreas Mattheis, que conduziu um Dodge Viper Coupé. De quebra, os líderes do campeonato aumentaram a vantagem na tabela para dez pontos em relação a Negrão/Mattheis.


Corrida agitada – Mesmo sem a quantidade de incidentes registrada na terceira etapa, a segunda corrida foi bastante movimentada, com os três Dodge Viper do grid brigando entre si. Alceu Feldmann largou na frente e chegou a colocar quase dois segundos de vantagem em cima do Ferrari F430 de Cláudio Ricci que, no esforço para superar o Lamborghini do paranaense, marcou, a exemplo da corrida da manhã, a melhor volta da prova. No processo, o gaúcho baixou a diferença para menos de meio segundo.

No entanto, Feldmann soube usar o bom conjunto de seu carro e voltou a aumentar a vantagem. As trocas de piloto começaram a partir da volta número 17, com Alencar Júnior e Antônio Hermann parando para encerrar seu turno de pilotagem e entregar seus carros a Rafael Derani e Lico Kaesemodel, respectivamente, que passariam a comandar o Ferrari F430 e o Porsche 997 GT3 Cup.

No giro seguinte, Ricci superou Feldmann na Curva da Junção. “O carro começou a ficar muito traseiro e tirei um pouco o pé”, explicou o paranaense. “Foi quando o Ferrari se aproximou. Mas depois, na Junção, as marchas não entraram e eu pensei que houvesse algum problema na caixa de câmbio. Por segurança, não dificultei a ultrapassagem e segui atrás dele”, comentou Feldmann após a corrida.

Na volta 25, os dois líderes pararam nos boxes para fazer a troca de pilotos, o que possibilitou a Paulo Bonifácio recuperar a liderança. “Não sabia que estava em primeiro, e por isso estava andando forte, quando a equipe me avisou via rádio que era para eu administrar a vantagem”, contou Boni na entrevista coletiva dos três primeiros colocados.

Quase fora – O Dodge Viper de Negrão e Mattheis teve uma prova bastante movimentada, com várias brigas por posição. E acabou no segundo lugar, com o carioca Andréas ao volante. Mas, antes, Mattheis tomou um susto: quando tentou ultrapassar Walter Derani por fora na Junção, acabou passando pela grama e quase rodou. “Ele se sentiu o próprio Jim Clark hoje”, brincou o parceiro Xandy Negrão, referindo-se ao bicampeão de F-1 nos anos 60 e à manobra arriscada que Andréas fez para passar o paulista, que defendia ferrenhamente sua posição. “Melhoramos o carro em relação à corrida da manhã, porque estava muito traseiro e com pouca velocidade de reta. Acho que todo mundo se divertiu”, resumiu Mattheis.

Outra ótima corrida fez a dupla Ramon Matias/Abramo Mazzochi, a bordo do Dogde Viper número 10. Matias impôs um ritmo forte e constante e foi ganhando posições até parar para a troca na terceira colocação. “No começo foi difícil passar o Leonardo Burti, mas a partir dali ficou melhor, com o Viper muito forte de reta. Peguei pista livre e tinha o Lamborghini no meu campo de visão, mas a diferença não diminuía”, afirmou.

No turno de Mazzochi ao volante, o carro da dupla rodou depois de se chocar com o também Viper pilotado por Paulo de Tarso numa briga por posição. No entanto, o posicionamento não se alterou. “A batida com o Tarso me desconcentrou um pouco, mas conseguimos cumprir nosso objetivo”, disse o piloto gaúcho que, ao lado da dupla vencedora, foi o único a repetir o resultado da corrida disputada pela manhã.

Recuperação surpreendente teve Lico Kaesemodel a bordo do Porsche 997. Assumindo seu turno na 17ª volta no lugar de Antonio Hermann, o paranaense voltou à pista na última colocação. Contou com os problemas de alguns Ferrari, fez ultrapassagens e chegou em quarto lugar.

No campeonato, a dupla do Lamborghini aumentou a vantagem na liderança para nove pontos em relação a Xandy Negrão/Andréas Mattheis (38 a 29). Ramon Matias e Abramo Mazzochi se mantiveram na terceira posição, com 27.

A próxima rodada dupla do Brasil GT3 Championship acontece nos dias 29 e 30 de setembro no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Para a ocasião, é aguardada a estréia de novos modelos de supercarros.

Confira o resultado da quarta etapa:

1º) P.Bonifacio/A.Feldmann (Lamborghini Gallardo, SP/PR), 42 voltas em 1h00min05s466 (média de 154,95 km/h)
2º) X.Negrão/A.Mattheis (Viper Coupé, SP/RJ), a 41s747
3º) A.Mazzochi/R.Matias (Viper Coupé, RS/RS), a 58s248
4º) A.Hermann/L.Kaesemodel (Porsche 997 GT3, SP/PR), a 1min16s956
5º) W.Derani/C.Ricci (Ferrari F430, SP/RS), a 1 volta
6º) P.Tarso/L.Burti (Viper Coupé, PR/SP), a 1 volta
7º) R.Derani/Alencar Jr (Ferrari F430, SP/GO), a 1 volta
8º) S.Laganá/M.Fernandes (Ferrari F430, PR/RS), a 1 volta
9º) R.Cattalini/Paternostro (Ferrari F430, PR/SP), a 2 voltas

Melhor Volta: C.Ricci/W.Derani, 1min21s651


Classificação do Brasil GT3 Championship após a quarta etapa:

1º) P.Bonifacio/A.Feldmann, 38
2º) A.Mattheis / X.Negrão, 29
3º) A.Mazzochi/R.Matias, 26
4º) W.Derani/C.Ricci, 22
5º) A.Hermann/L.Kaesemodel, 11
      R.Derani/Alencar Jr, 11
7º) L. Paternostro/R. Catallini, 8
8º) P.Tarso/L.Burti, 7
9º) M.Fernandes/S.Laganá, 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *