GT3 Brasil: Com 41 anos de automobilismo, Trinci se impressiona com os supercarros

Luiz Alberto Trinci, mais conhecido como Dragão, é o novo engenheiro de pista da CRT Ferrari no Brasil GT3 Championship.

 


m dos técnicos com maior experiência no automobilismo brasileiro empresta agora seus conhecimentos à equipe CRT no Brasil GT3 Championship, o novo campeonato de supercarros que estréia este ano no país e coloca suas máquinas na pista de Curitiba neste final de semana. Luiz Alberto Trinci, conhecido no mundo das corridas como “Dragão”, acaba de chegar ao time comandado por Sergio Bürger e é o engenheiro de pista dos Ferrari F430 pilotados pelas duplas Rafael Derani/Alencar Junior e Walter Derani/Claudio Ricci.


Dragão, de 57 anos de idade, acumula 41 no automobilismo, tendo passado por praticamente todas as categorias no Brasil, exceto o kart e a Copa Clio. E é, hoje, o único profissional a trabalhar nas três principais categorias que correm no país: além de prestar assessoria à equipe CRT no GT3, Trinci é proprietário da Dragão Motorsport na Fórmula 3 e na Fórmula São Paulo, tendo conquistado o título sul-americano de 2006 com o baiano Luiz Razia; é também engenheiro da Win Motorsport – equipe que conta com o ex-piloto de F1 Antonio Pizzonia – na Stock Car V8.


Inovação – “Isso tudo é novidade para mim, uma experiência muito boa. Tive a melhor escola no automobilismo, com 41 anos de estrada. Mas aqui também estou aprendendo. Os carros são muito bem feitos, têm muita tecnologia, motor e suspensão excelentes e um sistema eletrônico muito avançado”, afirmou.


Mesmo sendo sua primeira experiência na GT3, Dragão já chegou inovando: adaptou um sistema de alinhamento da Stock Car para ser usado nos carros da Ferrari. “Não dispúnhamos aqui na equipe de um sistema que fizesse o alinhamento com tanta precisão. Revisamos todos os amortecedores dos carros e descobrimos um com problema. O regulamento é bastante restrito e limita o que se pode fazer nos carros visando a igualdade entre os participantes. Mas onde pudermos colocar a mão, tudo tem que ser muito bem feito. Estes carros são especiais”, disse.


Tendo formado pilotos do calibre de Tony Kanaan, Hélio Castroneves, Bruno Junqueira, Tarso Marques e Christian Fittipaldi, Dragão acredita que seus pilotos da GT3 tenham grandes chances em Curitiba, neste final de semana. “Temos duas ótimas duplas, com uma dupla ouro-bronze e outra de pilotos prata”, comentou, referindo-se ao sistema de classificação dos competidores, que os ranqueia de acordo com sua experiência na pista. “Certamente estaremos muito bem aqui”, encerrou Luiz Trinci.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *