GT3 Brasil: Itaipava Racing Team conta com consultor técnico

E os resultados aparecem: três vitórias em cinco provas. Leonardo Vital assessora quatro pilotos do Itaipava Racing Team.

Quando se fala em consultor técnico no automobilismo de competição, o mais lembrado logicamente é Michael Schumacher, que presta este serviço para a Ferrari. A função é adotada por equipes em diversos torneios do mundo inteiro, muitas vezes sob o nome de coach – termo da língua inglesa que significa treinador, ou técnico. No Itaipava Trofeo Maserati, pelo menos um time de São Paulo é adepto da prática. Lá, o consultor é o paulista Leonardo Vital, que assessora o Itaipava Racing Team, dos pilotos Cleber Faria, Pedro Queirolo, Marcelo Sant’Anna e Vanuê Faria.

Piloto de provas de longa duração com o modelo Maserati utilizado no campeonato, Vital também compete na Copa Vicar com o patrocínio da cervejaria carioca. No Itaipava Racing Team, ele é o encarregado de auxiliar os quatro pilotos da equipe a encontrar o melhor acerto de seus bólidos para cada circuito visitado pela categoria.

“Minha função tem muitos nomes, dependendo do campeonato ou da equipe”, diz Vital. “Há quem chame de consultor técnico, de personal driver, piloto de testes… Mas o que eu faço é ajudar os pilotos do Itaipava Racing Team a achar o melhor acerto para cada pista e a se adaptar mais rapidamente às condições do traçado. Nós chegamos a um acerto básico, para que depois cada um faça o seu ajuste fino, visando se adaptar ao estilo de pilotagem individual”, explicou.

Segundo Leonardo Vital, seu trabalho não se resume ao acerto. “Eu acompanho tudo na equipe, mas dou mais atenção ao desenvolvimento dos carros e também dos pilotos durante o final de semana. Após cada treino, eu baixo os dados de cada carro com o computador e depois converso individualmente com cada um deles sobre o que pode ser melhorado nas voltas rápidas. Se é ponto de freada, retomada, tangência, enfim, damos uma geral para que eles melhorem cada vez que entrarem na pista”, detalhou.

Segundo Vital, o modelo Maserati Trofeo traz à tona a habilidade do piloto, já que os itens de acerto do bólido não são muito variados. “O Maserati é o modelo de rua com uma série de adaptações para a pista, o que o torna bem mais confortável em termos de pilotagem. Ele conta com bastante tecnologia. Por exemplo, a troca de marchas é feita por meio de borboletas atrás do volante – como na Fórmula 1. Os acertos que fazemos são praticamente com suspensão e amortecedores, ajustando para o estilo de cada piloto. É um carro muito gostoso de dirigir, potente e rápido.”, explicou.

Segundo Vital, apesar de não ser ele ao volante, a celebração de uma vitória de sua equipe é sempre uma conquista pessoal muito comemorada. “Isso já aconteceu três vezes nesta temporada, em cinco corridas disputadas. Dá uma satisfação enorme de ver um piloto da nossa equipe vencendo, é uma alegria imensa a cada vitória. E, claro, dá uma satisfação enorme ver que seu trabalho está sendo bem feito, algo que é espelhado nos resultados dos pilotos”, finaliza Vital.

Sobre o Itaipava Trofeo Maserati: Realizado pela Auto+ Entretenimento, o Itaipava Trofeo Maserati tem patrocínio da Itaipava, co-patrocínio da Pirelli e apoio de Dedine, Krones, Ziemann Liess, Papo de Amigos e T.N.T. Energy Drink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *